Google+ Estórias Do Mundo: Quem Cala, Consente

sexta-feira, 23 de março de 2012

Quem Cala, Consente

, em Belo Horizonte - MG, Brasil
A famosa liberdade de expressão, clamada de forma tão veemente no Brasil por jornalistas, os donos da Rede Globo de Televisão e evangélicos, não significa que podemos falar qualquer coisa. Ela precisa, também, de leis que a regulem. Precisa de limites para que um cidadão seja protegido do outro, afinal isto não é uma anarquia. Acho a anarquia belíssima, pois, segundo seus idealizadores, o que corrompe o homem, que já nasce bom, é a sociedade, os governos, as leis. Infelizmente acredito no exato posto. O homem nasce mau. Sem moral ou ética. Sem qualquer traço de bondade. Contudo, vivendo em sociedade, sob um governo que dita leis e pune infrações, contemos nossos impulsos primevos. É por isso que a liberdade de expressão, ao ser garantida (sempre com o objetivo de permitir que tudo possa ser questionado e abertamente discutido), também precisa ser mediada. Porque o homem é mau e qualquer liberdade em demasia se tornará uma arma contra outro ser humano.
Se, então, a liberdade de expressão usada sem limite é um perigo, estaríamos dizendo que a censura é uma benção? Qualquer um no Brasil com mais de trinta anos, com certeza, vai se arrepiar com a possibilidade de uma resposta positiva para esta pergunta. Mas, convenhamos, alguma censura é sim necessária. Há um limite. Tem que haver.
O caso do Projeto de Lei Complementar 122 e as igrejas evangélicas tem deixado, ultimamente, isso muito claro. As igrejas são contra o projeto não porque ele fere o conceito constitucional pétreo da liberdade religiosa, ao contrário do que propagam. O Direito de manifestar fé em Jesus Cristo não pode e não faz parte da matéria do projeto. O temor evangélico é ver tolhido o seu direito de falar aberta e claramente sua aversão ao "homossexualismo". A grande questão, neste caso, que permeia o discurso destas igrejas é: Até onde vai o direito do evangélico de ser contra o homossexual e onde começa o momento em que ele estará se tornando preconceituoso?
Uma linha tênue da moralidade social é posta em evidência. Isto porque na sociedade capitalista pós-Apartheid nenhum preconceito é mais tolerado. No entanto os preconceitos de raça (negros, índios e judeus), de gênero (mulheres), a xenofobia (nordestinos, árabes e hindus), os portadores de necessidades especiais (Síndrome de Down, cadeirantes, surdos, mudos, etc.), entre outros, são absolutamente mais claros. Não tem como dizer que você não é a favor de negros casando com brancos, por exemplo, sem estar sendo racista. A dúvida evangélica se torna, para eles, mais perturbadora: É possível ser contra a prática homoerótica (elemento importante de sua fé, dado o número de convertidos ex-homossexuais que eles alardeiam) sem ser preconceituoso, isto é, sem estar cometendo um crime? De fato, a única forma de ser contra os homossexuais e não ser preconceituoso é dizer: "Olha, eu provei e não gostei". O que coloca qualquer pastor numa situação extremamente desconfortável. Aí que nasce todo este problema que vemos explodir na nossa Câmara dos Deputados e Senado.
Não obstante os evangélicos seguirem pela apelação dramática do "fim da liberdade religiosa no Brasil", eles sabem que o projeto atinge somente o seu direito a expressão. Eles sabem que o projeto não pode obrigá-los a casar homossexuais, por exemplo, afinal o Estado não tem poder de fazer com que a Igreja Católica case homens e mulheres que já se divorciaram, apesar da contração de segundas núpcias, após o divórcio, ser permitido pelas leis brasileiras. Eles, os pastores evangélicos, sabem! Eles sabem que tudo resolveria se eles se calassem, mas eles entendem o perigo, e é isso que eles mais temem, afinal quem cala, consente.

48 comentários:

  1. Gostei muito do post, mas o último parágrafo é fantástico.
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado pelo elogio, menino-polêmico.

      Excluir
  2. Foxx:

    Acredito que todos tem direito de gostar ou não de alguma coisa , não concordo apenas que se faça disto uma guerra ideológica, eleitoreira (ou de qq outro cunho).Inadmissível saírem matando e espancando as pessoas como se estivéssemos na Idade Média. Civilidade e respeito devem ser sempre valorizados pois só assim vamos construir uma sociedade mais justa e igualitária.
    Obs: Adorei seu texto. Impecável.

    ResponderExcluir
  3. sinceramente, religião e orientação sexual são coisas que não se contestam. as duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, o problema é que muitas pessoas preferem impor suas verdades aos outros, não é?

      Excluir
  4. O problema dos evangelicos é tão simples... falta de sexo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc, como sempre, reducionista...

      Excluir
    2. Falta de sexo influencia o humor das pessoas. Comprovado cientificamente... rs.

      Excluir
  5. Gente, que complexo.
    Excelente seu artigo, vou passar o resto da tarde pensando a respeito. Daria pra prolongar bastante a discussão, vc sabe.

    Muito bom, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, realmente, daria pra prolongar muito, farei outros textos.

      Excluir
  6. Muito bom, ainda que ache que provar de algo e não gostar não nos faz contra o que não gostamos. Não gosto de música eletrônica, mas não sou contra esta vertente musical ou quem gosta dela.
    Este drama a respeito da liberdade de expressão é, sem dúvida como vc bem colocou, manipulado de má-fé. Não poder se manifestar contra outros "tipos" de pessoas é também uma redução da liberdade de expressão, afinal de contas. Utiliza-se o trauma histórico recente da ditadura para manipular a auestão e acho, ainda, que a dificuldade com qualquer tipo de limite, pessoal ou social é bem próprio da nossa sociedade atual.

    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, isso q mais me indigna, a manipulação.

      Excluir
  7. Olha o Foxx aí colocando a gente pra pensar. Pensarei. Mas do texto/post eu já gostei, claro! Mega findi, Raposito!

    ResponderExcluir
  8. Como tudo fica Claro quando você explica.. è Impressionante Profeesor.. Tirou 10!

    ResponderExcluir
  9. Fora a questão de se o homem nasce bom e é corrompido pela sociedade, ou se é intrinsecamente mau e, portanto, deve ser “contido” por essa mesma sociedade, o que é, convenhamos, discutível e polêmico (sem ser post do prisioneiro... kkkk), o seu texto é brilhante! Você conseguiu reunir todas as “tramas” que compõe o tecido primordial acerca da questão da não aceitação da homossexualidade, em claras conexões com todos os problemas correlatos e circundantes.

    Tradução: Uau... maravilha, acredito que foi um dos seus melhores textos que eu li!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe, bem, essa é minha opinião. o homem é mal e precisa ser contido. mas além de ser minha opinião, é a base sob a qual o Estado foi construído.

      Excluir
  10. Texto fantástico, como sempre ^^
    Meu único temor é ver o lado oposto muitas vezes se calar e, assim, consentir...
    Um pouco de apelação dramática, as vezes, pode fazer bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um pouco de drama apimenta a vida né?

      Excluir
  11. Meu "ego pôlemico" está um pouco ai nessas palvras do texto.

    ResponderExcluir
  12. muito bom amigo Foxx. Tudo em excesso faz mal, até a religiosidade, pois caminha entre a linha entre o fanatismo e devoção.

    ResponderExcluir
  13. Rapaz, que clareza de ideias! Tudo bem encadeado, beirando a perfeição. Minha eterna dúvida é: será que é tão difícil assim que esse "povo" ao menos tente entender? Ou será que o não querer entender é tão soberano assim?

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eles entendem, eles não querem é mudar.

      Excluir
  14. O complicado é que, assim como uma mentira nunca se sustenta sem outra mentira, um preconceito nunca se sustenta sem outro preconceito. Para a maioria de nós daqui de Blogsville, seu texto é claro e completamente coerente. Mas acontece que a sociedade em geral se baseia em tantos preconceitos contra quem não tem uma orientação heterossexual (e às vezes se baseia numa visão de mundo extremamente confusa e equivocada) que elas partem de outro pressuposto e a discussão tem que começar em um nível mais básico!

    A começar do conceito de liberdade (que às vezes é propagado como a falsa ideia de estar isento de ter que se submeter a qualquer regra), passando pela distinção entre crença religiosa e postura moralmente aceita pela sociedade como um todo (quando se confunde o que é "pecado" com o que é "socialmente errado", ou mesmo com o que é um crime ou ilegal) e culminando na máxima "os fins justificam os meios" como forma de justificar a má fé de que se utilizam...

    Enfim, muita discussão poderia vir disso...

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza, a ideia de que liberdade é uma vida sem regras é uma invenção capitalista que só se consegue com muito dinheiro, para poder se apartar do Estado, e viver distante das leis.

      Excluir
  15. Texto perfeito!!!
    Saudade de vc, amigo!!

    ResponderExcluir
  16. Tudo certo, excluindo a parte do " De fato, a única forma de ser contra os homossexuais e não ser preconceituoso é dizer: "Olha, eu provei e não gostei". "
    Não vejo motivo para discordar de nenhum outro ponto abordado, porém esse que destaquei mostra um pensamento completamente deturbado do que possa ser a homossexualidade para você. EU sei que vc não pensa assim, mas o que dá a entender é que todos devem experimentar para que possam se manifestar contra e, bem, isso é errado. Eu não experimentei a experiência de viver no nazismo para ser contra, por exemplo. Conheço homossexuais que nunca experimentaram o sexo oposto e se declaram contra a heterossexualidade para si. Me soou um tanto quanto grosseiro e ignorante da sua parte, amigo, isso o que vc disse.
    Você pode ser contra uma postura política e atacá-la. Ser contra alguma atitude de participantes de reality show e votar nele para tirar, porém ser contra uma conduta social que não fere nenhuma lei e que não é considerada nenhum tipo de patologia é errado! É como se eu resolvesse ir contra todo mundo que é ruivo, por exemplo! Eu posso pensar que aquilo não é bom para mim, mas ir contra é errado! E, detalhe, posso pensar que aquilo não é bom para mim sem nunca precisar pintar o cabelo de vermelho porque, simplesmente, não é o que eu gosto.

    por favor, não me force a beber mijo para saber que é ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esqueci de dizer:
      BEIJO SEU LINDO :*

      Excluir
    2. pois então, amigo, eu concordo com tudo, mas eu não estava falando de mim, eu respeito pessoas q se consideram heterossexuais sim, não sou daquele tipo de bicha q dá em cima de héteros porque acha q se eles provarem podem gostar, mas eu estava falando sob a perspectiva evangélica nesse momento q vc fala. pelo menos foi o q eu tentei fazer.

      Excluir
  17. Primeira vez que li um texto imparcial. apesar de ser de um homossexual, gostaria que nossos legisladores fosse assim... Imparciais, e que nosso estado fosse altamente laico... Belíssimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom q vc achou isso... foi exatamente o oposto do comentário do Bruno anterior... gosto de ver isso...

      Excluir
  18. O texto é muito bacana... Parabéns!!!

    Mas eu ainda acredito que nosso maior problema seja o egoísmo e a falta de educação. Grande parte das pessoas ainda não sabe olhar e respeitar o outro e, ao ter um oportunidade, busca "se" vangloriar...

    Para que alguem possa discutir com imparcialidade questões importantes... ela precisa estar disposta a colocar de lado suas posições e olhar o todo.

    Infelizmente, isso ainda leva um tempo... mas, a esperança é a última que morre!

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo, falta empatia, colocar-se no lugar do outro...

      Excluir
  19. Se as pessoas dessem ao outro o direito ao livre arbítrio em questões absolutamente pessoais, que não interferem de modo algum na estruturação da sociedade, na vida daqueles que pensam de outro modo, o mundo seria bem melhor.

    Ser dono da verdade nunca levou a bom termo.
    E esses pastores, o papa, todos eles, no fundo, se acham donos da verdade, e isso justificaria qualquer providência para calar, se não eliminar, os que, na opinião deles, são errados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade, eles não se consideram donos da verdade, eles se considera a própria verdade, q a verdade só existe se sair de suas bocas.

      Excluir
  20. Errado é não beijar. Hahahaha! Boa semana, Foxxito!

    ResponderExcluir
  21. Sempre tira Professor! ;)

    E Muda a Porra do meu nome? tank's! kkk

    ResponderExcluir
  22. Hahahahahaha! Bem nessas! Nada de tirar meu brilho palmiresco... ele que fique com seus miojos! Hahaha! Hugz!

    ResponderExcluir
  23. Obrigado menino, pelo carinho de sempre.
    Bjux

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway