Google+ Estórias Do Mundo: Tentativa de Fuga

sexta-feira, 16 de março de 2012

Tentativa de Fuga

, em Natal - RN, Brasil
Eu subi no ônibus cantarolando a última música do ensaio do coral que faço parte daquela noite. Pisei no primeiro degrau repetindo a nota final de agnus dei, qui tollis pecata mundi para não esquecer que ela é a mesma que começa miserere nobis. Cantava baixinho quando paguei os R$ 2,20 da passagem e ouvi a máquina anunciar aos outros passageiros "inteira". Até ali, não havia reparado em quem estava dentro do ônibus, somente em uma menina de batom vermelho, sentada ao lado do cobrador, que reparava na marca da minha camisa pólo. Ao, no entanto, cruzar a roleta, me deparei, frente a frente, com ele. Olhos escuros, de ressaca, loiro, alto e com músculos que se faziam aparentes na manga da camiseta que usava. Ele me olhou no fundo dos olhos e como uma vítima hipnotizada eu me deixei ficar dentro deles por alguns segundos. Mas me recuperei, me recuperei e fui para o fundo do ônibus. Longe dele.
Eu continuava cantando, em pé, no fundo do ônibus, resolvi não sentar, o fundo do ônibus estava lotado de adolescentes vindos da escola. Agnus dei, quie tolli pecata mundi, dona nobis pacem, baixinho. Quando vejo os mesmos olhos magnéticos me sugando lá da frente do ônibus. Resolvo sentar, entre os estudantes mesmo. Pensava eu com meus botões abertos que aquilo não tinha como resultar em coisa boa. Sentado, desta vez reparei em um menino, também loiro, não mais de quinze anos, de lábios bem rosados. Reparei que ele virou-se no banco, dando as costas para a frente e virando-se para mim. Ele me encarava sem vergonha, como os adolescentes costumam fazer, ao mesmo tempo que continuava conversando animado com seus amigos de escola. Ele ainda estava com seu fardamento, uma escola católica administrada por freiras. Até que ele sorriu para mim. Somente o canto esquerdo de sua boca subiu, mostrando os dentes brancos e movendo junto sua sobrancelha. E eu baixei a cabeça, abri minha pasta de partituras e fiquei relembrando mentalmente a nota de mundi que continua em miserere, até chegar o meu ponto, onde levantei, me preparando para sair.
Caminhei no ônibus olhando para frente, fugindo do olhar do adolescente, a porta ficava no meio do caminho, mas de pé, encontrei outro olhar que esbarrou no meu e demonstrando surpresa passou a me admirar interessado. Moreno desta vez, com cachos caindo sobre sua testa, olhava-me com insistência, porém desceu antes que eu precisasse fugir. Mas desceu no mesmo ponto que eu. Ao descer, eu o vi ainda parado por lá, como se esperasse por algo. Olhava para o horizonte, tentando parecer, imagino, que não esperava ninguém em específico, talvez um segundo ônibus. Todavia, no momento que eu passei por ele, miserere nobis, miserere nobis, eu percebi que ele começou a me seguir. Vinha conversando no telefone, falava bem alto, mas eu não prestei atenção a nenhuma de suas palavras, até que passamos pela esquina de uma rua escura, ele do meu lado, virou-se rápido para mim, dizendo: "Eu vou por aqui, me segue?". Eu fingi que nada acontecera e segui meu caminho direto.
Alguns quarteirões depois, entro a esquerda e já estou perto de casa, quando cruzo com um vizinho, o qual eu admirava em minha juventude adolescente. Sem sombra de dúvida, o mais bonito de todos os jovens homens que moravam por ali. E, por anos, brincávamos de um flerte inofensivo que nunca passou de longos olhares, sorrisos e cumprimentos: "Oi, tudo bem?". Ele se chama Mike. E agora o menino bonito que ele fora se transformou em um homem muito bonito. O corpo continua o mesmo de cinco anos atrás, quando deixei Natal, saradíssimo, mas agora ele aparenta a maturidade dos trinta anos que se aproximam. Ele passou por mim e me cumprimentou, eu respondi o de sempre: "Oi, tudo bem?" também. Continuei então meu caminho somente para alguns passos depois ouvi-lo me chamar, pedindo que eu o esperasse. Chegou sorrindo, apertando seus olhos negros que contrastam com sua pele clara. Falou com voz de malandro que a gente se conhecia há muito tempo e apertou minha mão. Dona nobis pacem, dona nobis pacem. E tocou meu ombro, apertando. "Quando vamos marcar esse rolé então? Já está na hora!". Eu tentei balbuciar uma resposta, surpreendido, mas ele antes disse algo: "Aí, boy, ser que tu não tem cinco reais p'ra me emprestar não?".

MORAL DA ESTÓRIA:
Por mais que você fuja, quando algo tem que acontecer, sempre acontece.

54 comentários:

  1. Bravo! Foi uma viagem deliciosa esse seu texto, arrepiei! mas essas coisas não acontecem comigo, Rá

    ResponderExcluir
  2. Muito bom mesmo ... exceto o final ... bem Foxxiano! rs ... Mas está vendo? se tivesse facilitado as coisas no ônibus suas preces musicais poderiam ter sido atendidas sem os malditos cinco reais ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, eu acredito piamente q qualquer um no ônibus teria exatamente o mesmo resultado.

      Excluir
  3. Muito bom! Agora vamos combinar que Lê Foxx não é homem de fugas, nzé? Hahahaha!
    E sobre o "selinho": jura pra mim, Raposão... que tu - quase um semi-deus do Olimpo Blogsvilleano - ia se dignar a responder ao selinho se eu tivesse te indicado... DJURA, NZÉ? Hehehehehe! Bjz! Ótimo fds!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, responderia sim, não conquistei meu posto de semi-deus ignorando convites. hauahauahaua

      Excluir
  4. Quando uma coisa tem que acontecer, acontece. Mas a gente sempre tem a opção de seguir ou fugir do acontecimento depois que ele se sucede.

    Primo, quando fizer o primeiro post do projeto me avisa, põe a tag Projeto verão 2013, que ai eu linko lpa no uivos direto para a tag.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. qndo a gente vê a merda ali na nossa frente, o melhor é fugir mesmo.

      Excluir
  5. Os legítimos caçadores tem estilo. É uma arte, não essa pobreza com que você se defrontou. Isso não vale a pena. Não há beleza, nem tesão nisso. Você fez bem!

    Abração.

    ResponderExcluir
  6. Foxx, fiquei pensando durante a leitura que vc estava com mania de perseguição (isso existe?).... mas cá entre nós, caçador que é caçador abate a presa "in loco"...rsrsr. Fez bem em "dar no pé", pois nada parecia muito promissor. Mas eu ficava com o primeiro... Vc não se sentiu tentado? rsrsr Ab.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sabe qndo sua intuição sabe q não vale a pena, Margot?
      então...

      Excluir
  7. Foxx:

    Confesso: tenho adorado as coisas que leio. Este texto está divino mesmo. Fico me perguntando o que é verdade e o que é ficção e isto me excita profundamente ao ler seus textos. Abraços e lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não, Edilson, felizmente ou infelizmente é absolutamente tudo verdade.

      Excluir
  8. Respostas
    1. excelente descrição. hauahuahaua

      Excluir
  9. Vc fugindo?
    Se fosse eu até dava pra entender, mas vc?
    O quê que houve?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fujo pq todos esses homens sempre querem apenas q eu pague para estar com eles, qrido. então eu fujo.

      Excluir
  10. Eu pensei tivesse lido, aqui, um outro conto, do assalto ao ônibus,com Foxx passageiro, numa narrativa absolutamente literária, grandiosa.
    Será que foi viagem minha?

    ResponderExcluir
  11. Agora, sobre o novo texto: gosto muito desses seus escritos.
    Talento pra escrever e contar histórias de um jeito interessante e belo não lhe falta! Quando vc põe isso pra fora... Que beleza!!
    Desde que comecei a acompnhar seu blog, há alguns meses, ao lado de toda a erudição explícita, esses seus textos são os que mais me encantam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado por todos os elogios...
      de verdade, suas palavras contam muito pra mim...

      aquele texto do assalto é um texto de 2006 que eu coloquei o link apenas na página do facebook, pq estou fazendo lá a linha do tempo do blog.

      Excluir
    2. Sorry! Nem prestei atenção. Achei atualíssimo.
      Sua escrita, então, é grande já há anos...
      Continue!

      Excluir
    3. que bom q gostou, seu lindo.

      Excluir
  12. o que mais me impressionou nessa história foram os 2,20 de passagem, vc mora no paraíso ahsuahuhausa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      MELHOR COMENTÁRIO. Ganhou já!

      Excluir
  13. Dá até pra imaginar as cenas. Um menino vindo do coral, cantando o agnus dei (nada mais apropriado) e o mundo real (talvez a parte menos lírica dele) tentando... Na verdade não vejo o título como uma tentativa de fuga, mas sim como outro tipo de tentação. Aquela que o mundo não lírico tenta impor a meninos (que embora não pareçam, são) no meio da noite.

    Miserere Nobis! Beijão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa! qntos niveis de interpretação em 5 linhas!

      Excluir
  14. Belo texto.

    Daqueles que eu gostaria de ter escrito.
    Legal tb sua reação. Quer dizer, não ficou mt claro como foi sua reação no último.

    Pra mim, foi uma surpresa vc sair do ônibus sozinho. (piada interna).

    ResponderExcluir
  15. Gente! Como assim? O que você usou quando tomou banho neste dia? Hein? Por mais que não tenha sido assim tão... "positivo", hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, isso acontece sempre, e o resultado é sempre o mesmo.

      Excluir
  16. Gente! Como assim? O que você usou quando tomou banho neste dia? Hein? Está legal. No final, acabou sendo mais um dia na tua vida e tudo mais, mas foi um bom dia. hahaha

    ResponderExcluir
  17. FOXX, peraí, tá que eu vi que vc disse que todos se aproximan e querem a mesma coisa, mas vc tem certeza? Pq se fosse eu, eu teria feito os 4 e juntos ainda.

    E vc diz que as coisas para vc estão dificeis... como assim? Me passa um pouco deste teu mel!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, amigo, eu tenho absoluta certeza. e anos atrás eu tb teria feito os quatro, mas não estou mais nessa fase. e sempre foi mto fácil pra mim conseguir sexo, mas o que é dificil, sempre falei isso, é encontrar alguém que queira mais que sexo.

      Excluir
    2. Mesmo eles exigindo dinheiro?Isso não mexia um pouco com a sua cabeça não?

      Excluir
    3. To com Otavio.. Os 4 de vez.. Is the best!!!

      Excluir
    4. pois é, anônimo, anos atrás eu lidava bem com essa coisa de dinheiro, comia e depois desaparecia, evitava qualquer contato depois, mas agora eu prefiro só fazer sexo com alguém q goste de mim... então, com dinheiro, é totalmente impossível

      Excluir
  18. Vc lavou a cueca que tava usando nesse dia?? Pelo amor de Deus, se não lavou manda pra mim que eu vou ferver ela e fazer um perfume pra mim, vai ser mais babado que o chá da bota....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso na verdade não tem nada de surpreendente... é comum isso acontecer, ai vc diz q então eu reclamo de barriga cheia, mas tb eles se aproximarem e pedirem dinheiro tb é sempre o que acontece....

      Excluir
    2. rsss... Eu não disse que vc reclama de barriga cheia.. Isso ai eu super-entendo.. Conseguir sexo realmente é infinitamente mais fácil do que conseguir uma ligação no dia seguinte.. Mas ainda sim to querendo o perfume, meu bem!!!!

      Vai lá no Yag q te respondi...
      Amo-te!!!

      Excluir
  19. Oi Foxx.
    E você não perdeu o tom?
    Fascinante sua história.
    Um abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, como vai?
      claro q não.
      a gente diz não e mantem a pose
      hehehe

      Excluir
  20. Blog divertido, rs!
    Um ótimo primeiro contato.
    Te vi através do Satélite Assassino do amiguinho Alan.

    Te espero no meu blog
    http://www.cinemarodrigo.blogspot.com.br/

    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Gente quem me dera se algum ser humano reparasse em mim... Enfim, não vou me aproveitar deste espaço para choramingar a desgraça de minha vida...

    Achei interessante a história com várias possibilidades e sendo arrematada com um final bem inusitado, digamos assim. A linguagem flutuante deu um toque especial, assim como o Latim funcionando como plano de fundo. Confesso não saber de cabeça se tudo que está em latim está correto, mas também não é o caso. (devo confessar que necessito do meu dicionário e gramatica. Fiquei curioso).

    Viu como eu estou sempre aqui?! Não perco seus textos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, amigo, confie em mim, o latim tá certo sim. hehe

      Excluir
  22. que relato... praticamente a dama da lotação! hehe
    pra que fugir? encare, não abaixe a cabeça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fujo pq naum qro sexo por sexo, sabe?

      Excluir
  23. Pra mim isso é culpa dos feromônios... Tava matando a pau, hein?? rs

    Bom, se o melhor a fazer é fugir, vá a toda velocidade!!

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não é? deve ser pq tow na seca, ai tow vazando feromônio...

      Excluir
  24. Uma Sue muito da "aparecida", nzé? Hahahahaha! Boa semana, Raposão!

    ResponderExcluir
  25. você arrumou os cinco reais? rsrs

    ResponderExcluir
  26. Que delícia de texto! O Miserere intercalando tudo então... adorei! R$ 5? Poxa... baratinho este. Mas te entendo: o que vc quer não tem preço, né? ;)

    Bj e se cuida

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway