Google+ Estórias Do Mundo: "Someday You're Out"

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

"Someday You're Out"

, em Natal - RN, Brasil
Era já no meio de uma discussão que meus pais, irritados, queriam saber porque eu não gostava de ir para a casa de praia deles, em Santa Rita.
- Você 'tá escondendo o motivo que eu sei... 
Resmungou minha mãe.
- Não existe motivo para você não gostar de Santa Rita, Foxx. 
Meu pai dizia do outro lado. E eu repetia a exaustão:
- Pois eu não gosto de ir para aquela praia...
- Parece até que você tem vergonha de sua família.
Eu me irritei neste momento.
- Quem tem vergonha de mim são vocês. Sempre tiveram! Acha que eu esqueço quando meu irmão caçula não falava comigo na escola por vergonha de mim, ou do meu irmão mais velho que exigia que o senhor - e apontei para o meu pai - batesse em mim porque ele tinha vergonha das pessoas me chamarem de viadinho na rua. Sem contar o irmão do meio que me ameaçou de morte porque sou gay... 
Eu falava soluçando. As lágimas estouravam nos olhos.
- Sem falar que vocês dois mesmo... você, painho, me batia porque alguém na rua me chamava de bichinha; você, mainha, você mesmo me xingava de mulherzinha porque as minhas coisas eram sempre de menininha. 
- Eu nunca bati em você na vida...
Repetiu meu pai e eu gargalhei apesar das lágrimas que caiam.
- Não seja mentiroso! Você me batia porque as pessoas me acusavam na rua de viadinho quase sempre...
- E o que importa? Você não é bicha, é?
Meu pai perguntou como um desafio. E, em segundos, ocorreu uma batalha no meu cérebro. O que responder: mentir mais uma vez ou jogar toda a merda no ventilador. A resposta me surpreendeu quando brotou dos meus lábios.
- Sou sim. Sou bicha, viadinho, gay!
Minha mãe fez um comentário rápido, coberto de ironia:
- Eu sempre soube... desde pequeno...
- Eu sei que sabiam, os dois sabiam e por isso mesmo me maltrataram.
As lagrimas brotavam sem vergonha agora enquanto eu falava.
- Enquanto você, painho, me batia no lugar de me proteger de um mundo que só me atacava. 
Ele tentou balbuciar uma negativa novamente, mas eu ignorei e continuei falando:
- Você, mainha, fechava os olhos para o sofrimento do seu filho. Porque você sabia que eu era xingado e maltratado em todos os ambientes que eu estava, que eu tinha vergonha de sair de casa, que eu não tinha amigos, que meus próprios irmãos me excluíam... ai agora você vem cobrar que eu participe da família?
- Do jeito que você fala - começou minha mãe a falar ainda com ironia - parece até que você é infeliz...
- E eu sou infeliz, você que não acredita. Todos os dias eu faço força para acordar porque não tem nada em minha vida, nada!, que me faça ter prazer para acordar todos os dias. É um martírio! Um sofrimento!
Meu pai interveio:
- Então quer dizer que a culpa da sua infelicidade é nossa porque nós tentamos te consertar?
Eu sorri:
- Como se eu estivesse quebrado.
- Mas você está errado em ser gay, você devia tentar não ser. 
Concluiu meu pai. 
- Eu não posso, primeiro porque não estou errado, segundo porque eu nasci assim. Sempre fui assim e vocês mais do que qualquer um sabem que eu sou assim desde pequeno. Afinal, foi por isso que vocês me colocaram num psicólogo quando pequeno, para me curar...
Meu pai tentou negar.
- Eu nunca te levei a psicólogo não...
- Você devia parar de mentir, painho, isso sim...
Ele pretendeu continuar negando, mas minha mãe interveio.
- Realmente levamos você a um psicólogo, esperávamos estar ajudando você, mas você foi a duas sessões e não quis mais ir.
- Claro que não! Eu era criança, mas sabia perfeitamente que se eu falasse a verdade para aquela psicóloga eu ia apanhar em casa. Porque eu já apanhava e sabia que era porque meus pais não me aceitavam como eu sou. 
- Nós aceitamos você! 
Bradou minha mãe.
- Não, vocês se envergonham de mim. Sempre se envergonharam! E o pior é que eu sou o melhor dos quatro filhos que vocês tiveram, porém - e olhei diretamente para meu pai falando isso - tenho certeza que você tem muito mais orgulho do cafajeste do seu primogênito que não vale uma pataca furada, mas ele pelo menos é heterossexual, não é?
Ele não respondeu. Minha mãe, no entanto, começou a chorar e a fazer uma oração em voz alta.
- Senhor, me perdoa, me perdoa por ter feito meu filho infeliz. Ele tem trinta anos e eu nunca permiti que ele fosse feliz, Senhor! Perdoa-me!
Eu via as lágrimas caindo nos olhos dela, mas não me comovi.
- Você está querendo me tornar o vilão dessa estória, mainha, mas eu não sou. Eu sou vítima do que vocês fizeram comigo. Obviamente fruto de sua ignorância, sei perfeitamente que vocês fizeram com a melhor das intenções, contudo, o resultado não foi satisfatório, a única coisa que vocês me ensinaram foi que eu devia ter vergonha de quem sou.
Ela, no entanto, continuava a oração enquanto eu falava. Eu ouvi apenas a última parte.
- Perdoa, Senhor, a mim e ao meu filho pelo que ele é.
- Eu não tenho nada de errado pelo qual Deus vai me perdoar, mainha, porque foi ele quem me fez assim.
Ela continuava chorando, meu pai permanecia em silêncio como sem acreditar que tudo aquilo estava acontecendo. Eu funguei pela ultima vez e abri o computador. 








38 comentários:

  1. Uma hora a verdade tem que aparecer com todas as letras. Quanto mais a gente adia, mais complicado fica. Mas vou torcer pra que depois da tempestade (e pode/vai levar um belo de um tempo) venha alguma bonança. Vou torcer mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Oi amigo
    Desejo-te um bom ano e que vivas bem.
    Comovi-me ao ler o teu relato. Não dá para percebermos se é real ou fictício mas é chocante.

    Muitos pais ainda não aprenderam a amar e a respeitar os filhos. Procuram moldá-los em coisas que eles idealizaram. A tarefa dos pais não é fácil.

    Fui filho e fui pai. Amo demais os meus filhos mas respeito a sua liberdade de escolha.
    Ele escolheu a profissão que gostava e é nosso amigo.
    Ela estudou e seguiu outros caminhos. Ambos são maravilhosos e cada dia me sinto honrado e feliz

    Gostava que este mundo fosse perfeito, mas para ele ser perfeito para mim seria imperfeito para outros.

    Espero continuar a merecer a tua amizade e acredita que ser amigo não é só estar de acordo. Ser amigo é uma vida muito mais forte que ultrapassa todas as divergências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu caro Luís, todas as postagens do Estórias do Mundo são baseadas em fatos reais, com certeza essas palavras que foram ditas ai não são as exatamente ditas na hora do fato, afinal minha memória ao é tão boa assim para registrar cada palavra proferida, porém este fato realmente ocorreu no dia 26 de dezembro de 2012.

      Excluir
  3. Foxx...deve ter sido um episódio forte e doído. Mas...voce deve ter se sentido libertado...eu penso.
    Siga firme, não negue nunca o que voce é. E não ceda a chantagens emocionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Margot, a sensação foi de alívio. E não cederei.

      Excluir
  4. Parabéns pela coragem, decisão e atitude, Foxx!
    Acho que você fez o melhor!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também acho, meu querido. agora esperemos as repercussões.

      Excluir
  5. Nossa! Como deve ter sido bom conseguir dar conta de explicar com tanta clareza tudo aquilo que sempre te sufocou!
    Bem...a única coisa que quanto mais eu vivo, eu aprendo é que ser filho, de uma forma ou de outra é traumatizante...

    Orgulho de você:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado por se sentir orgulhosa de mim.
      =)

      Excluir
  6. Em casa, assumi aos poucos. Primeiro, meus irmão, depois minha mãe e por último meu pai. Eu também assumi pro meu pai, o mais difícil de todos - de família árabe, no meio de uma discussão. Ele disse alguma coisa sobre "esse povo que você anda, esse tipo de amigo que voce tem" e eu disse: qual o problema deles? Eles são gays? Eu também sou!

    Ja te disse isso, mas não custa repetir: bem-vindo ao clube! Sair do armário é sensacional!

    ResponderExcluir
  7. Foxx,espero realmente que seus pais te entenda um dia e saibam o que ser gay não é "estar gay". E, como sempre digo, nunca pense que você não tem mais nada para conquistar.

    Beijo! Gosto mto de vc! :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. own, querido, muito obrigado pelo seu carinho.

      Excluir
  8. Eita...Momento tenso...
    Mas é assim, uma hora vai acontecer....e passa!
    Mesmo que eles nunca mais toquem no assunto com vc.
    Eu tenho um irmão que não admite discutir esse assunto perto de mim... mas enfim, problema dele (s).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vamos esperar para ver como vai ficar depois...

      Excluir
    2. Então..... acho que o nome não expressa claramente o que eu quero dizer, mas seria: Um texto que contém elementos reais (frases, situações, personagens) mas aplicadas a outro contexto. A construção de uma ficcionalidade a partir de acontecimentos reais, mas de contextos bastante diferentes.

      Excluir
  9. E emagreceu 4 kilos depois disso, né??? Ou engordou 4????
    Esse diálogo explica muita coisa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, um peso foi retirado das minhas costas sim, Gato, tem sido estranho viver sem essa preocupação com eles me rondando... é ótimo.
      agora o que exatamente você acha que isso explica?

      Excluir
  10. Boa noite amigo. Como você está?
    Até hoje não tive uma conversa franca com meus pais. Ficou tudo nas indiretas... sei que eles sabem e isso me deixa feliz. Pra mim é o que basta hoje. No começo foi difícil... eles são católicos e me condenaram. Com o tempo tudo melhorou. E desejo o mesmo para você. Que tudo isso passe logo. E que mais do que isso, que você seja feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é, só da para esperar agora e ver como vai ficar...

      Excluir
  11. FOXX, você não imagina o quanto esse gesto foi libertador e curativo na sua vida e nos seus relacionamentos. Agora, sim, você está íntegro e pronto para seguir adiante sem máscaras,s em medo, assumindo tudo aquilo de bom que você possui. Nada mais o impede de ser feliz.Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gente, sério que vai fazer essa diferença toda? porque assim, eu sempre estive íntegro, não havia mascaras, somente eu não falava sobre este assunto com eles, era interdito apenas... eu tb não fingia no trabalho ou com meus amigos, eles todos sabem... vai fazer diferença porque eu falei a essas duas pessoas apenas?

      Excluir
  12. Hum, isso não foi bem uma "saída" do armário... Afinal, todos vocês fizerem um ao outro de bobos todo esse tempo. Não que sua saída não tenha importância, admitir isso para os pais é uó do borogodó - e tem lá seu q de exorcismo. Mas enfim, discordando do "Anônimo", isso não mudará muito as coisas... Afinal, a relação de vocês é baseada no nulo ou na negação, nenhum irá começar a ter conversas francas, amigáveis ou etc. Infelizmente sua corrente ainda te prende a própria estima, e a ilusão de que depende de outro para ser feliz.

    PS: Seu infortúnio não é piada, mas não resisti... "segundo porque eu nasci assim. Sempre fui assim..." Gabriela. Muito irônico a escolha de palavras... (e desculpe minha maldade)Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade, Homotoon, a minha relação com meus pais é baseada na negação mesmo, eles negavam que sabiam, eu negava que era gay, e é bem provável que agora esse assunto nunca seja mais tocado de novo né?
      agora eu não entendi essa frase: "Infelizmente sua corrente ainda te prende a própria estima, e a ilusão de que depende de outro para ser feliz.", o que você quer dizer com isso?

      Excluir
  13. Nossa, eu acho isso tudo tao complicado. Eu acho sim que parte disso tudo é culpa deles, mas nao tanto assim. Acho que vc tem de quebrar este ciclo, cair fora, crescer. Colocar a culpa em quem tem e seguir SUA vida em frente, tomando responsabilidade por tudo, controlar sua vida.

    Voce deveria procurar um psicólogo (coisa que já falei mil vezes) e tentar resolver as suas questoes, mas com vc mesmo.

    Voce é muito inteligente, todos aqui sabemos disso, agora o que acho é que falta desenvolver um pouco a inteligencia emocional. Sair do lugar que se encontra, mudar. E nada como um acompanhamento psicológico para te guiar nisso, ou digo mais, até religioso (mas claro, destes com cérebro).

    Está claro que vc reflete sobre tdo isso, mas nao consegue sair deste mesmo ciclo só e um PROFISSIONAL, com acompanhamento constante seria bom pra vc (como na verdade é bom pra todo mundo!).

    Deveria deixar um pouco de lado este monte de comentários, já que todo mundo que tá longe quer namorar vc e blá blá blá, mas os que estao perto nao se comportam bem assim. Deveria mesmo procurar ajuda de um profissional.

    Mas claro, esta é minha opiniao, só isso. E desculpa se falei demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, otávio, vc tem razão. eu preciso sim de ajuda profissional porque eu não consigo pular fora desse ciclo e ressignificar essas experiências, vc está coberto de razão, mas eu não posso pagar por isso e aí está o problema.
      obrigado pela sua opinião e sua preocupação comigo. fico mto agradecido com seu carinho.

      Excluir
  14. rapaz, quando a gente começa a achar que o carro está no trilho, com tua mãe pedindo perdão por ter te feito infeliz, ela vem com uma cagada de pato fenomenal, né?

    e os dias após isso, como estão?

    bjao em ti, muita serenidade nesses dias vindouros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não é? eu também achei por um segundo que ela havia percebido o que fez, ai desandou.

      Excluir
  15. sempre existe o choque da libertação, por mais que todos saibam... pensando no dia em que acontecer comigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, muitas vezes o choque é de vc ter coragem de assumir, não pela informação, mas pela coragem.

      Excluir
  16. Foxx,
    Posso imaginar tamanha carga dramática da situação,pois convivo diariamente com tudo isso. Vc apenas vomitou o que engoliu durante anos. Camus disse:"Em meio a um inverno eu finalmente aprendi que havia uma primavera invencível dentro de mim."Força feliz 2013!
    Paulo César Cuiabá MT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Paulo, espero que então vc tb tenha a força para jogar isso de volta para eles tb. Não podemos permitir que nos tratem mal, não quando já temos armas para nos defender. Feliz 2013 pra vc tb, que bom que vc retornou.

      Excluir
  17. Foxx:

    Fico feliz por você ter conseguido se expor e compartilhar sua dor e fantasmas com seus pais, quem sabe agora as coisas possam ser melhores. Torço muito por você e por sua felicidade.

    Linda semana. Abraços querido.

    ResponderExcluir
  18. Querido amigo Foxx:

    Quando eu comecei a ler esse texto, fiquei muito triste por você estar passando por isso que, de uma maneira totalmente diferente, eu também passei. Chorei, como você até os 25 anos ou mais, por problemas familiares, só que nossa "briga" acontecia como se o assunto fosse outro, mas na verdade a raiz de tudo isso era a mesma.
    Quando seu pai perguntou: você não é gay, é? Eu fiquei em dúvida por dois segundos e, quando lí sua resposta, ela saiu como um foguete que não saiu mais da rota. É mais fácil ver isso acontecer nos filmes, mas você falou tudo, com todas as palavras sobre cada elemento da família. Não sei se sua vida, seu humor vai mudar do dia para a noite, mas sua resposta foi como um bloco de concreto que não podia ser jogado aos pedacinhos e eu achei isso muito bom. Eu imagino que isso vai lhe fazer bem e não recue diante de ninguém. Se precisar repetir tudo novamente para seus irmãos ou seja quem for, faça.

    Eu quero te ver feliz, claro, vc é muito querido, mas, se a felicidade demorar, insista,

    Beijos do José Solon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. assim, desculpa, mas porque tá todo mundo dizendo aqui que comigo assumindo para meus pais um peso saiu das minhas costas e tudo vai mudar? gente, eu nunca vivi no armário, eu sou bicha demais pra caber num armário, eu só nunca tinha assumido diretamente e com todas as palavras assim para meus pais, mas em nenhuma outra parte da minha vida eu vivia no armário, no trabalho ou com meus amigos todos sabiam já... não vejo nenhuma mudança que possa acontecer na minha vida só por causa disso...

      Excluir
  19. TEN-SO! Sendo bem franco: acho incrível quando pais "caretas" dão a luz para filhos "iluminados" e bem-resolvidos como vc! Bjos, babe! I'm back!

    ResponderExcluir
  20. Fiquei tocado com o texto e ao imaginar a situação, mas acho que há 'males' que vem pra bem. Se isso não é uma saída 'oficial' do armário, pelo menos serviu pra deixar as coisas mais claras pros seus pais, não?
    De qualquer forma, desejo um 2013 lindo pra vc, foxx.
    Com todas as mudanças necessárias ;)

    ResponderExcluir
  21. Ao ler tuas histórias hoje entendo porque vc escreve sempre com muita tristeza e revolta. Se eu tivesse uma família assim não sei se teria suportado. Você é forte por aguentar tudo isso, parabéns Foxx!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway