Google+ Estórias Do Mundo: Dez Por Um

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Dez Por Um

, em Natal - RN, Brasil

FOXX: Como assim eu conto sempre a mesma história e só mudo o contexto?

Raphael: Você dá voltas, posta sobre varias coisas e volta à estaca zero. Como se fosse a resposta para tudo, tipo resposta automatica no MSN quando se está ausente.

FOXX: Como assim? Seja mais claro e mais direto.

Raphael: Mais direto, impossível! Não sei se a sua intenção quando posta sobre sua tristeza é desabafar ou encontrar uma solução milagrosa pra esse problema. Concordo, no entanto, quando você diz sobre a ditadura da felicidade - que somos obrigados a aparentar felicidade o tempo todo -, mas nao precisa ser só tristeza. Há um meio termo.

FOXX: Você não está sendo direto, Raphael. Você está enrolando.

Raphael: Estou pisando em ovos para não ser grosso.

FOXX: Está, e você não precisa fazer isso. Seja claro e direto, grosso se precisar.

Raphael: Então eu quero saber o que você espera ao postar sobre sua tristeza?

FOXX: Nada, estou contando apenas, falando, divagando...

Raphael: Eu acho que não! Como vc mesmo disse, se quisesse poderia salvar o desabafo no word...

FOXX: Ah, entendi sua pergunta. Sim, eu tenho um objetivo com o meu blog: ele serve pra que outras pessoas se identifiquem. Elas não precisam me ajudar, mas a ideia é que eu as ajude de alguma forma.

Raphael: Entao a sua intençao é que se identifiquem com a tristeza?

FOXX: Sim! Tem gente triste ai que como eu não tem apoio, porque os blogs só falam de coisa boa o tempo todo e p'ra quem está mal como eu, eles se sentem apenas oprimidos. Elas saberão que não são obirgados a serem felizes o tempo todo.

Raphael: Você acha que postando sobre tristezas irá apoiá-las? Já pensou que você pode colocá-las ainda mais pra baixo?

FOXX: Não! Nunca!

Raphael: Por que você sabe que existem pessoas altamente influenciáveis...

FOXX: Com meu blog, Raphael, eles sabem que é normal ser triste, que não é doença, que você não precisa se entupir de drogas.

Raphael: Não, Foxx! Não é normal ser triste e você precisa de tratamento igual ao Ro Fers.

FOXX: Desculpa, mas não é assim, é normal ser triste sim! O que não é normal é quando você está na merda sair por ai sorrindo e sendo a pessoa mais feliz do mundo como se nada estivesse acontecendo. Não é normal você ver sua vida se desfazendo e fingir que tudo continua lindo.

Raphael: Você deve ter reparado, porém, que alem da ditadura da felicidade, há a ditadura do "mais forte", não é? Que as pessoas não costumam mostrar suas fraquezas.

FOXX: Sim e dai? E isso é certo?

Raphael: Não, não é. Mas você pode ser julgado como fraco demais, às vezes sem ser.

FOXX: Mas e quando eu mostrando minha fraqueza posso ser a abertura pra alguém se aproximar? Alguém q sofre? Eu quero ajudar quem está mal e não é criando um ambiente fake q esta pessoa vai se aproximar de mim, é mostrando qm eu sou de verdade.

Raphael: Não concordo, você não ajudará ninguem assim... só se você mostrar o fato e der a solução, mas você ao contrário ainda está procurando a sua solução. Como vai então ajudar as pessoas que também querem uma solução?

FOXX: Eu já ajudo pessoas assim, Raphael, eu mostro o fato e digo que eu também não tenho a solução. Mas eu não estou aqui para ensinar os passos para ninguém, eu estou aqui para pensar junto. Pensar juntos uma resposta para os problemas dessas pessoas, desses meninos que me procuram, que me mandam e-mails como relatei neste post que você criticou. São meninos que estão tristes e que não se vêem nos outros blogs porque os consideram falsos.

Raphael: Não, Foxx, eu não concordo! Como vc quer ajudar alguem se não consegue se ajudar?

FOXX: Então você está sugerindo que eu feche o blog?

Raphael: Não, eu sugiro que repense o significado de ajudar. Não sei se estou errado, até pq nao acredito em altruísmo...

FOXX: Bem, eu tento ajudá-los e não é por mim. Eu sei que eu não tenho mais jeito, não vou encontrar algo que resolva meus problemas, mas eu sei que posso dar uma visão de fora pra eles, porque eu passei pelas mesmas coisas. Se eu já tivesse a resposta pronta, eles iam me ver como alguém distante com quem não tem o que falar, alguém que está certo. Eu não estou certo, eu sou igual a eles.

Raphael: Não concordo. Acho que as pessoas tem que ter uma base em algo que deu certo para ser referencia. Tipo, as pessoas não costumam respeitar um psicologo sem diploma...

FOXX: Talvez não, Raphael, mas as pessoas respeitam o fracassado que está de pé. 

Raphael: Você acha que eu sou o unico a pensar assim?

FOXX: Não, muito pelo contrário, tanto que sou criticado sempre no blog. 10 me criticam, 1 pede ajuda, mas acho q vale a pena as criticas pelas pessoas que eu ajudo.

30 comentários:

  1. Ajudar o outro é coisa difícil, porque, no fundo, só mesmo a própria pessoa pode decidir ajudar-se. Podemos dar dicas, ajudar a pensar, isso é fato.
    Mas acho que a forma mais direta de ajuda é o exemplo. Não o exemplo exuberante, imposto, falado, indicado, mas o exemplo silencioso, convicto, decidido, nunca impositivo, que é o que nós fazemos muitas vezes no dia-a-dia, sem perceber.
    Acredito, pois acompanho o Blog, no seu ponto de vista e decisão sobre ajudar o outro, mas me permito questionar uma coisa, do ponto de vista de alguém (eu) que seguramente não tem sua inteligência, suas habilidades, e nem mesmo seus dotes físicos, e que já passou, e passa, pela depressão. E não venceu, apenas sobreviveu.
    E se destacaria, no seu raciocínio, algo que talvez possa não ajudar muito. Trata-se da declaração reiterada de que "Eu sei que eu não tenho mais jeito".
    Fico pensando se isso ajuda. Talvez, pode ser, pensando melhor: se vencermos esse momento, o fundo do poço, sobreviveremos, e então, viveremos de uma outra forma. Pode ser uma forma de ajudar, mas não sei como esse tipo de declaração pode chegar a alguém num momento de extrema baixa. A discutir, muito, ainda, sobre.

    Sobre a ditadura da felicidade, só os ainda muito incipientes na vida acreditam nisso. Assim como, por outro lado, não me parece certo acreditar no oposto. A vida é equilíbrio, andar numa corda bamba. O segredo é curtir a estrada, seja nas noites escuras, seja nos dias luminosos. Ambos fazem e farão sempre parte da vida.
    Pra tudo e pra todos há uma saída. Hoje posso não ver. Espero até amanhã. Quem sabe? E assim, vamos vivendo.
    A desesperança total também é uma forma radical de encarar a vida que pode ser tão ilusória quanto a ideia de felicidade (ou euforia, já que felicidade é outra coisa) permanente. Nada na vida é permanente, a não ser a luta, com pausas para descanso.
    Ou então, desculpe-me, por não ter entendido nada ainda!
    Tenham todos um ótimo feriadão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu acho q essa minha posição de que não tem mais jeito ajuda dado o fato que a maioria das pessoas vem com o texto de "se eu consegui, vc consegue", e minha proposta é: eu não consegui, mas ainda tow aqui. entende?

      Excluir
    2. Foxx, concordo com vc em quase tudo... acho que pode sim ajudar alguém, só tem um problema... vc pelo que entendi não acredita no "eu não consegui, mas ainda tow aqui", pq quem tá aqui, tá no jogo e vc fala muito que pra vc não tem mais jeito!!!

      Tem jeito sim, esta é a idéia do tow aqui!!! To em pé e pronto pra próxima!!!

      E eu acho que vc está... acho que em algum lugar vc acredita que vai dar certo..

      Excluir
    3. Bom, eu tô com o Alex e o Otávio. Vc não passa a imagem de "não consegui, mas estou aqui". Vc passa a imagem de "eu estou aqui, mas não consegui" que tem outro valor bem diferente... Além disso, acho que vc foca muito mais na sua dor que em outros aspectos da sua vida e fazer isso de uma maneira obsessiva não ajuda a ninguém.

      Entendo seu sofrimento, respeito (e compreendo) o que você sente, mas dizer que a forma como vc lida com ele ajuda alguém eu já não concordo. Tô com o Raphael Martins: "eu sugiro que repense o significado de ajudar."

      Desculpe a sinceridade, mas não há outra forma de dizer isso!

      Beijos, meu bem!

      Excluir
  2. Não quero comentar se você escreve bem, se é inteligente, se consegue ajudar as pessoas, se é ou não depressivo. Disso tudo, eu já desisti de comentar.

    Desse post, muito bem escrito, fica em mim apenas uma impressão: será que o meu blog consegue ajudar alguém? Acho que não! Nem sei se essa é a função de um blog. Mas, tem a segunda parte da impressão: e eu, consigo ajudar alguém? Pelo visto, também não.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu sempre tentei ajudar as pessoas, César, sempre foi o objetivo do meu blog demonstrar que alguém gay pode ser feliz, mas hoje o objetivo dele é demonstrar que vc pode sobreviver mesmo não tendo nada... ainda estou tentando...

      Excluir
  3. Mais uma coisa, super me identifiquei com a idéia de tá tudo péssimo, mas finjo estar lindo... acho que pode ser mesmo uma caracteristica de quem precisa de ajuda sim...

    fui minha vida toda em psicologos e adoro.. acho que adianta sim!!! Acho bacana quem tem coragem de procurar ajuda... mas tem de querer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também acho que psicologos são ótimos, mas pra mim não é de muita ajuda.

      Excluir
  4. Eu sinceramente não tenho nem o que comentar... Pk assim, eu até, realmente, entendo todo lance ligado a ditadura da felicidade... Não somos felizes o tempo inteiro, estar triste é natural e a maneira em que vc se sente a vontade pra dispor a sua dor pode de fato trazer identificação e uma sensação de "não estou sozinho aqui"... Isso é bom... O que é ruim é tornar natural uma condição de tristeza constante e pior: Com o discurso de "não tenho mais jeito" acoplado...

    Como que alguém que realmente acha que o tamanho dos eu buraco é tão grande a ponto de que nada que possa vir acontecer vai dar jeito, acredita poder ajudar alguém deprimido??? O cara q se identifica pode não comprar só a parte do "somos infelizes", mas tb a parte do "não há solução".

    O tiro pode sair pela culatra, meu querido... A identificação que vc busca pode a principio tirar alguém da ideia de solidão, mas tb pode fazer do sofrimento pra essas pessoas uma zona de conforto como se tornou pra vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc realmente considera q esse sofrimento é uma zona de conforto só pq eu não tenho muita esperança de sair dele? vai ver então eu estou muito enganado sobre isso... pq pra mim é apenas uma percepção da realidade...

      Excluir
    2. não tem muita esperança?? Eu acho que li '"eu sei que não tenho mais jeito"....

      Foxx, zona de conforto não tem a ver com felicidade ou satisfação e sim com adequação... E vc deixa isso muito claro qdo diz: "eu não consegui, mas ainda estou aqui"... Ou seja, me acomodei, encontrei o meu lugar, é aqui que estou alocado e não vejo outra alternativa.. Se isso não for zona de conforto eu n sei mais o que é.

      Excluir
    3. zona de conforto e estar acomodado me parecem ser duas coisas distintas, Gato, mas concordo com vc q me acomodei, ou q tenho tentado me acomodar, até pq preciso senão não sobrevivo né?

      Excluir
    4. Tah, mas... O que vc acha que não cabe pra vc??? A zona de conforto em que vc se aloca ainda q sofrendo ou estar conformado sob a perspectiva de "essa é minha sina"???

      Quanto a não sobreviver tendo a infelicidade como parceira, pois bem.... Essa é sua contribuição??? É assim q vc realmente acredita estar ajudando????

      Excluir
    5. então vamos lá. acho que zona de conforto não se aplica, neste sentido q vc usou, mas eu assumo q estou acomodado e que acho q preciso me acomodar porque senão sofrerei mais, e o que significa se acomodar neste caso: por ex, estou sozinho não estou? preciso me acomodar a essa situação, pq não posso ficar sofrendo por isso, mas preciso estar bem mesmo sozinho. isso q chamo de me acomodar a solidão, me acostumar a ela e saber viver com ela e, sabendo viver com ela, não ser infeliz.
      é assim q eu acredito estar ajudando, mesmo dizendo q não tem jeito a situação, aprender a ser feliz com ela, entende?

      Excluir
    6. Sábias palavras o Gato Van de Kamp.

      Excluir
  5. Oi, minha primeira vez por aqui. Na verdade estou entrando hoje para esse novo mundo. É um bom dia para se começar, pleno carnaval. Esses dias tenho lido alguns blogs. O seu foi o que eu mais me identifiquei. Eu entendo você. Mesmo. Sou igual. Com um agravante (sim, é possível!): tenho quase o dobro da sua idade.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso Foxx... É isso.. Espero que possa ajudar o Lucas!!!

      Excluir
    2. Oi Lucas, que bom que vc resolveu comentar por aqui. seja bem vindo. Assim, dá pra contar mais sobre vc entao? quiser conversar tem o e-mail: le.foxx@hotmail.com

      Excluir
  6. Eu tinha escrito um livro-comentário, mas aqui deixo apenas "as pessoas adoram viver na 'ilusão'".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah não...
      pode falar tudo
      isso é mto pouco!

      hehehe

      Excluir
    2. Desabafem, pessoas... assim como fizemos na conversa que originou a postagem ! :|D

      Excluir
  7. Meu querido,
    Seu único consolo é estudar para o concurso das Universidades., tornar-se professor universitário de uma federal qualquer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu concordo, o dificil é haver concurso para as universidades...

      Excluir
  8. Foxx seu blog é um alento para muitos (eu incluído). Sempre me identifiquei com suas reflexões, questionamentos... Quantas vezes me peguei pensando sobre algo que li por aqui...
    Tenho certeza de que outros leitores se identificam com suas histórias.

    ResponderExcluir
  9. Vamos lá, Foxx!
    Tenho que lhe confessar que a maneira como vc pensa sobre o assunto em questão é idêntica a de uma amiga minha.
    Senti ela respondendo as perguntas de Raphael.
    E como sempre pensei em relação a ela, não acho que seja normal ser triste.
    Passamos fases ruins claro, e durante esse período não podemos fingir alegria, estamos tristes e aí?
    Eu mesmo desabafei muito no Celeiro.
    Mas penso que devemos buscar estar bem, e não viver a vida toda no negativismo.
    A ideia de ajudar alguém que enfrenta situação semelhante, com o que escrevemos, tem dois efeitos.
    A pessoa pode se identificar e criar forças para seguir em frente, ou pode se identificar e cair no conformismo da situação.
    Afinal se vc não sabe a solução do seu problema, não busca mais achá-la e sente-se bem assim, outros irão fazer o mesmo.
    E a ideia de ajudar é justamente tentar tirar alguém do buraco.
    Não digo que dividir as experiências não ajudem. Ajudam!
    Mas vc precisa tbm mudar um pouco sua maneira de enxergar o mundo.
    Com a ideia de tô fodido e pronto, não vai ajudar muito nem vc e nem quem for se identificar.

    É isso!
    Abração, meu amigo!!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway