Google+ Estórias Do Mundo: O Casamento do Ano

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O Casamento do Ano

, em Natal - RN, Brasil


Na mesma semana que o Conselho Nacional de Justiça decidiu, numa votação sem estardalhaço, que os cartórios deveriam converter as uniões civis de casais homossexuais em casamentos, como também se dá com os casais heterossexuais, e que também os cartórios deveriam receber e deferir os pedidos de casamento civil de casais do mesmo sexo, a Panini Comics publicou como história de capa da revista X-Men Extra o casamento do mutante gay, Estrela Polar, com seu namorado, Kyle. A Panini é a distribuidora no Brasil das revistas em quadrinhos da DC Comics, editora do Super-Homem, Mulher-Maravilha e Batman, e da Marvel Entertainment, que publica Homem-Aranha, Capitão América, Homem-de-ferro, Hulk, Thor, Vingadores e os X-Men, desde 2002, quando substituiu a Editora Abril. Contemos primeiro quem é o Estrela Polar. 
Jean-Paul Beaubier foi criado em 1979 pela dupla lendária dos quadrinhos Chris Claremont e John Byrne e teve sua primeira aparição em Uncanny X-Men 120. Ele é franco-canadense, nascido em Montreal, e possui os poderes de super-velocidade, vôo, além de força e resistência sobre-humanas. Sua história nos quadrinhos começa com ele sendo um atleta mundialmente conhecido que ganhava as competições de esqui graças aos seus poderes de supervelocidade, desmascarado, ele teve a oportunidade de se juntar a equipe de super-heróis que protegia o Canadá, a Tropa Alfa. Nesta equipe estavam Wolverine; o Guardião, o líder da equipe; os seres místicos Sasquatch e Pássaro da Neve; o feiticeiro indígena Shaman e a irmã gêmea de Jean-Paul, com os meus poderes, Aurora. A Tropa Alfa surgiu apenas para fazer parte da história do passado do Wolverine, porém seus personagens se tornaram tão carismáticos que em 1983 eles ganharam sua própria revista, Alpha Flight, escrita pelo mestre dos quadrinhos, John Byrne, que teve então a oportunidade de desenvolver os personagens criados como coadjuvantes para os X-Men.
Quando Alpha Flight foi lançada já era a intenção de John Byrne de fazer que Estrela Polar fosse gay, porém o editor-chefe da Marvel na época, Jim Shooter, foi terminantemente contra, apoiando-se no Comic Code Authority, que autorregula a publicação de revistas em quadrinhos nos Estados Unidos. Porém, apesar da proibição, Byrne continuou com sua premissa sobre o personagem. Jean-Paul, por exemplo, nunca era visto com mulheres; os próprios personagens discutiam a sexualidade de Jean-Paul estranhando porque ele nunca estava acompanhado, ele respondia que estava muito dedicado a se tornar um campeão olímpico para se dedicar as mulheres. Somente em 1992, em Alpha Flight 106, Scott Lobdell teve a permissão de tirar Estrela Polar do armário e ele finalmente disse: "Eu sou gay!", fazendo a revista esgotar-se das bancas em uma semana. Apesar do sucesso, das questões que envolviam sua sexualidade serem abordadas na revista em quadrinhos, com o cancelamento da Alpha Flight no número 130, em 1994, a sexualidade do herói canadense foi praticamente ignorada por qualquer outro escritor. Houveram citações a sexualidade do Estrela Polar, quando ele aparecia como convidado em outros títulos, como por exemplo do Hulk, escrito por Peter David, que também havia introduzido o segundo personagem gay assumido do universo Marvel, Hector, do grupo Panteão.
Somente em 2002, pelas mãos de Chuck Austen, Estrela Polar foi reintegrado aos X-Men ao ser convidado pelo professor Xavier a integrar a escola. Neste convite, Austen mostra ao que veio pois a primeira discussão entre Estrela Polar e o Professor X é como ele poderia ser professor de crianças se ele era gay, Xavier não demonstra nenhum preconceito, e Estrela Polar passa a fazer parte do time de professores do Instituto Xavier de Ensino Avançado, ensinando Economia, Francês e dando aulas de vôo. Austen explora ricamente o tema da sexualidade de Jean-Paul em suas histórias fazendo-o ter uma paixão platônica pelo X-Man, Homem de Gelo; além de que como professor, ele se torna um modelo para o único estudante gay do Instituto, Anole, de apenas 15 anos. Quando Austen deixou a revista em 2004, Estrela Polar também deixou a equipe, conta-se que ele passa a fazer parte da S.H.I.E.L.D., um grupo de espiões do governo americano, após ser controlado mentalmente pela HYDRA, o grupo de espiões inimigo. Ele só retorna aos X-Men em 2008, com a saga Secret Invasion, na qual a Terra é invadida por extraterrestres capazes de mudar de forma.
A partir do ano seguinte descobrimos que Jean-Paul está namorando o seu agente, Kyle Jinadu, que mora no Canadá, enquanto ele continua nos Estados Unidos junto com os X-Men. Além do namoro, as conversas de Jean-Paul com os outros personagens da série nos quadrinhos não deixa nenhuma dúvida sobre a sexualidade dele. E em 2012, publicada com atraso de 1 ano no Brasil, realiza-se o casamento dele e Kyle na revista Astonishing X-Men 51. E eu li esta história essa semana. Primeiro é bom explicar que a Panini Comics, no Brasil, não publica apenas uma revista por mês, a tradição brasileira é um mesmo título conter várias números da mesma revista por mês, neste X-Men Extra 136.1, por exemplo, se reuniu os quatro  números de Astonishing X-Men (48-51) que contam sobre o casamento entre o herói e seu agente. Resumindo a história: Kyle decide vir morar nos EUA junto com o namorado, ao mesmo tempo os X-Men da Escola Jean Grey para Jovens Mutantes são atacados pelos Carrascos, que estão sendo manipulados por uma vilã misteriosa. Em meio aos ataques, Jean-Paul pede o Kyle em casamento para provar-lhe que ele estava comprometido de verdade com o relacionamento deles. 
O casamento ocorre nos jardins da Mansão Xavier, onde é a Escola Jean Grey e tem a presença de quase todos os mutantes das séries dos X-Men, além dos membros da Tropa Alfa e alguns Vingadores. Uma sequência de dos quadros me chamou atenção, reproduzo abaixo: 



A sensibilidade do roteiro de Marjorie Liu não deixou de fora personagens em dúvida se eram a favor ou não do casamento; ai em cima ela cita dois, mas em determinada passagem da história, o próprio Estrela Polar afirma que nem todas as pessoas que ele convidou compareceram ao casamento; Marjorie Liu deixa claro que os personagens da Marvel, apesar de heróis, também tem seus preconceitos, eles não são perfeitos e, portanto, é normal encontrar entre eles pessoas homofóbicas também. A história é uma clássica história de casamento nos quadrinhos, como foi do Sr. Fantástico e a Mulher-Invísivel, como foi a do Homem-Aranha e Mary Jane, como foi o casamento de Ciclope e Jean Grey e também o de Pantera Negra e Tempestade, todos com a tradição da capa da revista ser uma foto dos noivos. Foi, para mim, emocionante. Não porque a história foi linda, foi comum, porém eu comecei a ler X-Men nos idos de minha adolescência porque o fato deles serem odiados e temidos por terem nascido diferentes me tocava profundamente, ler nestas páginas que eu acompanho desde que eu era aquele menino que sofria bullying  na escola, o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo em uma revista em quadrinhos de super-heróis me emocionou muito. E acho que essa, definitivamente, foi a melhor maneira de comemorar o Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia.



24 comentários:

  1. Comecei a ler com 17 anos e parei ano passado vou voltar a ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois volte, está numa ótima época para recomeçar...

      Excluir
  2. muito bom!
    eu sempre gostei dos X-Men por isso mesmo, sempre me identifiquei!

    bjuz querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, na minha adolescencia, ao pegar as revistas para ler era um momento de fuga, eu me transportava para um universo em que eu seria aceito. Ai, ai... me trouxe lembranças agora...

      Excluir
  3. Interessante não sabia disso confesso que sempre acompanhei os mangás porque acho legal as historias e as liberdades dos autores. Mas eu tenho uma "pequena coleção incompleta" que ganhei de herois e nela tem o x-man, liga da justiça entre outros mais teve um que me chamo atenção o SUPERBOY uma gibi do SUPER HOMEM que me fez achar que todos os herois tem seu lado homossexual meio aflorado porque aquela capa aquele gibe o super homem de jaqueta de couro com aquele cabelo , oculos muito "metrossexual" para uma revista de 97 mais isos não muda o que penso deles gay ou não eles sempre vão ser meus herois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, eu sei de que revista vc tá falando... e aquele desenhista em específico costumava desenhar homens muito bonitos mesmo!

      Excluir
  4. Acho que depois dessa publicação, outros super heróis vão sair do armário. E muitos outros casamentos virão. Seria sonhar demais se virasse filme...?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, o Estrela Polar não é tão importante para ganhar um filme, então seria sonhar demais sim, mas é bom vê-lo como um personagem de destaque nos quadrinhos desde o ano passado, após o casamento.

      Excluir
  5. Eu, nem sei o motivo, nunca fui chegado em quadrinhos, super heróis, nada disso. Em compensação, o amor da minha vida... desculpe, não consigo comentar.

    AFGF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gente, anônimo, te trouxe lembranças foi?

      Excluir
    2. Na maior parte do tempo é suportável a ausência. Mas, tem horas... deixa pra lá.

      AFGF

      Excluir
    3. Ô, querido, te deixo um abraço ok? Infelizmente é o máximo que dá para fazer, além de torcer que vc fique bem.

      Excluir
  6. AMODOREI esse teu post... super Estórias do Mundo encontra com TPM de Macho... hehe!
    E como assim te troco por vários bloGAYros?!? Meu filho - deixa eu te dizer - caso tu não saibas: tu é introcável! Hehehehehehehe! Bjos e bom fds!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não liga que é ele fazendo charme (zzzzzzzzz) e você ainda cai nessa?

      Excluir
  7. Mega interessante hein?
    Embora não me interesse tanto por quadrinhos, esse virou leitura obrigatória.
    Abraços!

    senhordoseculo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é item de colecionador, né Dimas?

      Excluir
  8. Se até eles podem, por que nós não?
    Bjux

    ResponderExcluir
  9. Oi Foxx, tudo bem?
    Eu li e achei lindo, rsrsrs. Tem continuação essa edição sobre o casamento do JP, rs.
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. x-men me emociona por todos esses motivos. nunca esqueço de guerras asgardianas, quando vampira beija o estrela polar e descobre o "segredo" dele. eram bons tempos de roteiros...

    ResponderExcluir
  11. Entao, li um pouco na época.. mas fiquei mesmo foi feliz em saber sobre o cartório converter com "facilidade" uniao estável homo em casamento.. muito bacana!!!

    ResponderExcluir
  12. #podeixar que vou te render alguma 'menagem, então... hahahahaha! Bjs!

    ResponderExcluir
  13. gosto de quadrinhos mas não tenho muito tempo para ler, queria ter mais tempo pra isso.

    e como anda a vida? a casa nova, o mr. creepie? espero posts novos!

    ResponderExcluir
  14. Apesar de ser um personagem secundário é bom ver refletido na HQ oq acontece na realidade, especialmente quando se trata de um casamento gay. Agora fico pensando q o que me garante que um escritor homofóbico venha surgir depois e desfazer o casamento deixando todo mundo pensando que não passou de um erro? Afinal a Marvel tem uma tendencia a destruir casamentos em seus quadrinhos.

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway