Google+ Estórias Do Mundo: Pérsia: Os Homens de Confiança de Ciro

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Pérsia: Os Homens de Confiança de Ciro

, em Natal - RN, Brasil


Além de Bagoas, houveram outros grandes eunucos na história da Pérsia. Todos muito bem educados. Podemos citar, usando o exemplo que Andrew Chugg retira de Diógenes Laércio, Hermias, que fora educado por Aristóteles, na Grécia, onde fora enviado por seus pais, adolescente, e já castrado. O que demonstra que a "imposição" destes jovens na situação de eunuco era um investimento familiar em seu futuro. Esta imposição funcionava exatamente como o casamento era colocado para as mulheres. Era uma forma de ascender socialmente, Hermias, inclusive, tornou-se governador da satrapia de Atarneus, na região da Jônia (atual Turquia), e se rebelou contra o grande rei Ciro tornando-se independente do império persa durante um curto período de tempo. 
Apesar da traição de Hermias, na Ciropedia, escrita por Xenofonte, historiador grego, que está a mais detalhada descrição dos eunucos persas. Diz ele: "Ciro sabia que os homens precisam amar os filhos ou esposas ou favoritos dos quais eles se encantam: enquanto eunucos, que são privados de todos os entes queridos, certamente colocam em mais alta conta de quem poderia enriquecer-los ou ajudá-los se eles foram feridos ou terem sua honra abalada. E para receber tais benefícios o eunuco sempre está disposto a pensar que ele poderia oferecer mais ao mundo. Além disso, o eunuco, sendo degradados aos olhos de outros homens, é levado a procurar a ajuda de algum senhor ou mestre. Sem tal proteção não há um homem no mundo que não se ache no direito de sobrepujar um eunuco. Segundo Ciro, não havia qualquer razão para supor que o eunuco não seria o mais fiel de todos os servos. Quanto à noção comum de que um eunuco deve ser fraco e covarde, Ciro não estava disposto a aceitá-la ... nenhum homem se mostrar mais fiel do que eunucos quando ruína cai sobre seus senhores. Na força física, talvez, os eunucos podem parecer não estarem na mesma vantagem, mas o aço é um grande nivelador e torna o homem fraco igual ao forte na guerra. Mantendo isso em mente, Ciro resolveu que seus assistentes pessoais, desde os seus porteiros, deveriam ser todos eunucos."
São muitos os exemplos de eunucos ligados ao poder imperial. Primeiro o outro Bagoas, grão-vizir de Artaxerxes Ochus, que em 338 a.C., com a morte do imperador, reinou no império até subir ao trono Dario I, que para muitos não passava de uma marionete nas mãos do eunuco. Um outro exemplo da participação política destes personagens é Artoxares que viveu entre os reinos de Artaxerxes I e Dario II, um século depois deste primeiro Bagoas. De acordo com Ctésias, este último com apenas 20 anos participou do exército contra o rebelde sátrapa Megabyzus, que derrotado foi enviado exilado para o Golfo Pérsico. Por causa de sua participação na guerra, Artoxares tornou-se sátrapa da região da Armênia. Ele também, após a morte de Artaxerxes e do fim da guerra civil entre os seus filhos que resultou na vitória de Dario II, quem Artoxares apoiava, o eunuco tornou-se uma das pessoas mais influentes da corte persa de meados do século V a.C. Porém, corrompido pelo poder, o eunuco conspirou contra o rei e foi executado por ordem da rainha Parysatis. 
Um exemplo desta fidelidade foi de Batis, eunuco que governava a cidade de Gaza, quando Alexandre, o Grande, tentou tomar a cidade. De acordo com um fragmento de Hegesias, citado por Chugg, Batis fingiu se render ao conquistador grego só para ter uma chance de se aproximar dele e esfaqueá-lo. Apesar de ainda sair ferido, Alexandre sobreviveu ao atentado e, para dar o exemplo, matou o eunuco e amarrou o corpo em seu carro, arrastando-o em torno das muralhas da cidade como Aquiles fez com Heitor. Ou Hermotimo, de 480 a.C., que fora o favorito de Xerxes. Este tornou-se segundo guardião (algo como padrinho) dos inúmeros filhos do rei, um papel que só era reservado a outros reis. Este tornou-se eunuco ainda criança quando foi vendido para o palácio do rei o que não impediu que ele se torna-se um cruel soldado como demonstrou nas Guerras Médicas contra os gregos, inclusive participando da famosa Batalha de Salamina. Xerxes inclusive tinha uma guarda pessoal formada apenas por eunucos, como lembra Don Benjamin.
Inclusive, Don Benjamim acredita que os eunucos seriam melhor entendidos se fossem pensados como funcionários reais extremamente comprometidos com seus reis. Tão comprometidos que abdicavam de sua virilidade como prova disso. Eles são representados pela arte sempre sem barba, transportando os armas de seus governantes, segurando guarda-sóis, afastando-lhe as moscas ou abanando-lhe. Eles acompanhavam os governantes em caçadas e dirigiam seus carros, além de serem responsáveis pelo seu guarda-roupa. Eunucos também são retratados como músicos tocando liras e harpas; como escribas escrever cartas para seus governantes, registrando pilhagem e prisioneiros de guerra, e elaboração da anais no campo de batalha.
Acrescentamos, no entanto, que o fato de um homem persa tornar-se um eunuco não queria dizer que ele dedicaria sua vida as relações homoeróticas, os registros falam de alguns, porém também existem inúmeros relatos de eunucos que, inclusive, eram casados com mulheres. Ser eunuco na Pérsia não passava de um trabalho.



10 comentários:

  1. Bem informativo e interessante saber mais sobre os eunucos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz em saber que vc gosta, Frederico.

      Excluir
  2. Eu que não queria esse "ofício"... hehehe! E tipo assim, fio: eles até "dão cima" mas na hora de "dar" ninguém aparece... hahahahahahaha!

    ResponderExcluir
  3. Por uma coincidencia incrível,estou lendo o livro HISTÓRIA,justamente no trecho que fala de CIRO.
    Adorei!
    Abração,FOXX

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E que bom que você adorou, Do, e que bom que você voltou por aqui, inclusive.

      Excluir
  4. é sempre bom passar aqui e ficar sabendo um pouco mais.Obs: realmente comentar poema é difícil, mas só a sua visita já está valendo.
    Bjux

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é sempre bom saber que você gosta desta coluna, Wanderley.

      Excluir
  5. Pois é, menino... #superconcordo que TODA Blogsville deveria dar pra mim... #comofaz???? Hahahaha! Beijozão!!!

    ResponderExcluir
  6. Bela aula!
    Pobres eunucos!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway