Google+ Estórias Do Mundo: Garde-manger, parte 1

terça-feira, 22 de março de 2011

Garde-manger, parte 1

, em Belo Horizonte - MG, Brasil
Resolvi naquele dia que sairia para correr mais cedo. Ameaçava chover. Então calcei meus tênis e vesti o short e saí para a Pampulha. Dirigi-me para as imediações do museu de arte, famosa região de pegação e prostituição masculina da cidade. Gosto de correr por ali, além de ser mais calmo, com um movimento menor de carros, me divirto observando, por poucos segundos enquanto passo correndo, os executivos em seus carros abordando garotos de programa, os pais de família que fogem depois do trabalho para uma transa rápida entre as árvores, os jovens esperançosos de amor, mas que não distinguem este do sexo. É divertido observar aqueles outros, que demonstram tanta segurança apalpando os próprios paus e te medindo com o olhar, mas que não estão disponiveis para um relacionamento verdadeiro com ninguém. Eu gosto de correr entre eles, me diverte. 
Contudo, deve ser por causa da posição da Lua, algo diferente tem acontecido comigo desde antes do carnaval. Eu passei correndo e observei um garoto, magro, com alguns músculos aparecendo por sobre a camiseta de algodão, uma bunda bonita e pernas rijas, não grandes e musculosas, mas magras e definidas, ele caminhava com as mãos nos bolsos e sandália nos dedos. Parecia apenas curtir o fim de tarde na orla da lagoa, aquela tarde que ameaçava terminar em chuva. Passei por ele correndo, e ainda olhei para trás, ele notou que eu passei observando, vi seu nariz adunco e o abdômen reto. Não era bonito, mas era gostoso.
Continuei correndo. Eram três quilômetros para terminar ali e ainda voltar. E na volta eu o reencontrei, passei por ele, ele caminhava do mesmo jeito, mãos nos bolsos e sandália no pé. Notei que ele percebera que eu estava olhando para ele, e resolvi parar um pouco, aproveitava e descasava uns minutos, custava nada. Não iria falar com ele, mas quem sabe. Parei. Ele notou e voltou seu caminho. Rápido, sem pensar muito. Eu fingi me alongar um pouco e ele chegou do meu lado e disse: "Oi?". 
Conversamos ali, num dos mirantes que margeiam a lagoa. Por uma hora mais ou menos, logo estava escuro, e a chuva que eu temia ameaçava mais ainda. Falamos sobre nossos empregos, ele chef de cozinha, eu professor, falamos sobre viajens, o Nordeste, o Rio e São Paulo, e BH, falamos sobre relacionamentos. "Então, você é solteiro?", ele me perguntou e eu quis gargalhar, mas apenas respondi: "Sou, e é por isso que estou conversando com você aqui. Se eu namorasse não conversaria com pessoas na rua desse jeito". Ele concordou que não era realmente o correto a se fazer, e pediu meu telefone e prometeu ligar, e com um beijo suave, com gosto de quero-mais nos despedimos. Só para no mesmo dia ele me ligar e falar: "Queria que você tivesse vindo aqui pra minha casa comigo". E eu respondi: "Ora, era só me convidar".

21 comentários:

  1. Hum... na espera de novidades por aqui..

    bjoo*

    ResponderExcluir
  2. OMG! era falar ... não seja por isto posso ir agora ... ou não???

    ResponderExcluir
  3. Muito simples, não é? hahaha

    Beijo primo!

    ResponderExcluir
  4. Êta a maré tá boa. Aproveite amigo.
    Bjão

    ResponderExcluir
  5. biscate...

    nada, brincando. às vezes é assim que começa algo muito maior, quem sabe?

    pode parecer ingênuo ou clichê mas ainda assim verdade.

    afinal, não creio em bruxas mas que elas existem, existem.

    ResponderExcluir
  6. O fim da história parece bem interessante ... será que teremos um final surpreendente?

    ResponderExcluir
  7. Comentei por comentar. *Smack*

    *DB*

    ResponderExcluir
  8. Volta logo pra nos contar o restante de td essa história! rs! Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Tui andas safadinho safadinho...rs

    Enjoy!

    ResponderExcluir
  10. "O jeito é... Da uma fugidinha com você..." USHaiuhsiAsuAs... Lembrei da música. Se joga, gato e seja o que Deus quiser.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Essa posição da Lua tá rendendo, hein? hehehehe

    Bjo e abraço, o/~

    ResponderExcluir
  12. Ainda é tempo, né? Aliás, você já foi?
    Aguardarei pra saber e espero que seja (ou tenha sido) muito bom.
    Bj.s

    ResponderExcluir
  13. Curto e grosso.
    Direto na latinha.
    Esse é o meu Foxxxxxx... hahaha!
    Hugzzz!

    ResponderExcluir
  14. ora, ora...será o acaso conspirando a seu favor?

    adoro isso!

    bjos moço lindo!

    ResponderExcluir
  15. A gente acaba complicando muito coisas tão simples.Ou os outros,rss
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. PARCERIA ???

    Receba milhares de novas visitas em seu blog através de parceria...Você pode ter seu blog divulgado para até 1 milhão e meio de pessoas todo mês. Imagine isso...

    Confirme seu interesse escrevendo para:

    gaylera05@gaylera.net

    SALA DE BATE PAPO GAY TEL 4003-2807
    http://www.batepapogay.com.br
    Ricardo

    ResponderExcluir
  17. Eita!!! Cheiro de uma boa história mineira no ar... Vou ler a parte dois e comento depois...

    Abração!!!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway