Google+ Estórias Do Mundo: Só

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

, em Belo Horizonte - MG, Brasil
Alta madrugada em Belo Horizonte, e eu caminhava pela avenida Augusto de Lima, em direção ao ponto de ônibus, quando cruzei com ele. Magro, olhos expressivos, sorriso encantador, perguntou meu nome e elogiou minha barba. Perguntou de onde eu vinha e contei-lhe que vinha do terceiro bar naquele dia, que encontrara uma amiga, já bêbada, na Praça da Estação, "num barzinho bem copo sujo"; depois encontrara outros amigos no Estúdio da Carne, onde discutimos religião, política e futebol, e onde, um desses amigos, conheceu um menino e me levou, junto com o menino que tinha apenas dezoito anos, a outro bar, porque ele queria conversar. Já ele falou que fazia programas. Contou dele, contou quanto cobrava, contou como era sua vida, e me convidou para mais uma cerveja. "Não tenho dinheiro para programa", disse-lhe seco. Ele falou que tudo bem, que não era programa, que gostou de mim, só íamos conversar um pouco. Eu sabia que era mentira. Afinal, por mais que músicas de Odair José digam o contrário, putas e putos não se apaixonam, eles trabalham. Mas, mesmo assim, sentei no quarto bar com ele, e ele nem discreto foi. "Compra uma cerveja p'ra gente?". Eu ri por dentro. Gargalhei na verdade. Mas comprei a cerveja e sentei, ele serviu-se e conversamos a madrugada toda. Cheguei em casa as 8h da manhã. Conversando e pagando cervejas para um garoto de programa. Ele se irritou quando percebeu que realmente eu não ía leva-lo para cama e pagar os cem reais que ele cobrava pelos seus olhos expressivos e sorriso encantador, e o garçom daquele bar com karaokê sorriu com pena quando paguei a conta e levantei sozinho, voltando para casa. No ônibus, de volta, tonto, encostei a cabeça no vidro da janela. E olhei para as casas e prédios que se afastavam. Eram como promessas de amor. Só passavam por mim. E, naquela noite, em que eu paguei para alguém ficar ao meu lado, ouvindo minhas palavras, eu notei como eu estava só.

32 comentários:

  1. está solitário porque quer ... raposas nunca ficam solitárias ...

    ;-)

    ResponderExcluir
  2. poxa! sua hora vai chegar foxx.
    E estar só é diferente de ser... então mta calma.

    fica bem. bjo

    ResponderExcluir
  3. 4 bares numa noite? Uau... Força aí. Bj

    ResponderExcluir
  4. gato, michê não faz nada, eu disse NADA, pelos seu belos olhos, sei do que falo.

    agora pagar umas brejas pra ele de boa, quema sabe ele realmente não topava um freelance né?

    sei que vai soar clichê mas, como já disseram aqui, sua hora chega (mas dá uma força que não custa né?)

    ResponderExcluir
  5. não precisa ser garoto de programa para que paguem cerveja pra você. Se lembra quando fui praí? Luciano ficava me fazendo dar em cima do menino pra ele pagar caipirinha pra gente...

    obs: vc escolheu essa situação, por isso não sinta pena de vc msm

    ResponderExcluir
  6. "Só" é um estado absurdamente relativo e assustadoramente contraditório. Nunca estamos completamente sós e, quando estamos, é por opção.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Foxx, não gaste seus neurônios nem abuse dos seus sentimentos por conta de uma passagem com um gp. Vc tá certo, ele se frustrou pelo fato de vc não ter gastado mais do q algumas brejas com ele. Mas, acredite, ele voltou pra casa se sentindo um lixo e hoje mesmo a sua história se repetirá.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho dificuldade em ser sensível a este tipo de post que você escreve porque eu adoro os momentos que estou sozinho pra me entender melhor. Aliás muita gente me faz mal. Eu nunca me senti assim, ou nunca prestei atenção qdo estava solitário. De qualquer modo, essa é uma experiência bem do nosso tempo! Abraços!

    ResponderExcluir
  9. vc podia ter ido pra casa, tomado banho e dormido, afinal já tinha bebida cerveja suficiente em 3 bares e conversado suficiente com seus amigos.

    vc poderia ter acabado uma noite divertida com amigos, mas vc acabou uma noite pagando cerveja p um garoto de programa fazer vc se sentir sozinho.

    é burrice, foxx. é carência e é burrice.

    ResponderExcluir
  10. Caraca, quantos bares numa única noite....rs
    De inicio, achei que o Garoto de programa estava carente de amizade, queira conversar, desabafar, mas... acho que me enganei, além dele ter bebido em suas custas, ele queria mesmo era ganhar dinheiro fácil, e pra ganhar 100,00 numa transa, ele deveria ser "O Cara", algo mto perfeito...
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  11. Mas tem coisa melhor que passar a noite toda conversando com um desconhecido de olhos expressivos quando nossas amizades estão cada vez mais fakes?

    Reclama não... Você ainda tem muito tempo pra ser acompanhado!

    ***

    BayjÖs!

    ;-)

    ResponderExcluir
  12. Tudo tem a hr certa.Bola pra frente,rapaz!
    Aprendi a viver um dia de cada vez.

    Ah,estou esperando os próximos posts da Homohistória.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Sou obrigada a concordar com o Jr. A vida desse cara vai continuar um lixo hoje, enquanto você, pode não estar acompanhado da maneira como gostaria, mas está cercado de carinho e de pessoas que gostam mto de vc.

    bjos

    ResponderExcluir
  14. Lenin ... qto ao documentário vc encontra para baixar no link:

    http://megafilmes.biz/download-filme-a-natureza-da-existencia-dvdrip-rmvb-legendado-baixar-filme

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  15. Eu não teria essa confiança toda com um estranho. Não mesmo. XD

    Beijo primo!

    ResponderExcluir
  16. Aiai e eu aqui sozinho em Sergipe, a vida naum e justa man(Kidding)...

    Canso de falar que vc vai arrumar quem alguem do seu nivel...

    Mas nem tenho muito credito pra falar isso pq me sinto assim tambem e olha que de start faz poko tempo...

    ResponderExcluir
  17. Era melhor ter continuado a ser seco e falar que não iria pagar cervejas pra ninguém. Vc iria embora se lembrando da noite em que encontrou vários amigos e esticou em três bares diferentes.

    Tá vendo que não seguir a impulsividade às vezes pode render finais mais felizes?

    Força na próxima, ok?

    Abração!

    ResponderExcluir
  18. No fim somos todos sozinhos, só temos q saber "usar" essa solidão ao nosso favor!
    abraçoooo!

    ResponderExcluir
  19. Foxx,

    Eu fico de cara como vc consegue ser quase lírico na forma de forma de contar as coisas ...

    bjs

    ResponderExcluir
  20. "E olhei para as casas e prédios que se afastavam. Eram como promessas de amor. Só passavam por mim"

    clássica!

    ;)

    ResponderExcluir
  21. Coragem!
    E olha que eu tenho histórias suficientes de contato com estranhos na rua, mas não abro mão da companhia dos meus amigos para sentar em bar.
    Mais, quando estou indo pra casa, nada me leve de volta pra outro bar. Muito menos se eu for pagar pros outros beberem. NUNCA!
    rs

    ResponderExcluir
  22. As promessas de amor passam para a grande maioria. Somos, regra, pessoas sós hoje. E, mesmo nos casais, há muita solidão. Acho que, para muitos, o casamento, o namoro falso, é apenas uma fuga, fuga da aparência da solidão. Foge-se da percepção alheia dos outros quando à sua solidão. Mas vi, e vejo, muita gente só.

    Acho que o segredo é ser feliz assim. Tentar viver sem este ideal de chinelo velho para um pé cansado.

    Um xêro!

    ResponderExcluir
  23. Bem, não digo que seja alegre a experiência pela qual passou, mas há coisas piores. A gente, muitas vezes, paga pra ver até aonde vão as coisas. Pagou, esperou, saiu fora, deu o que era previsível.

    Concordo com o último comentarista, acima, (Inconstanteblog). Aprender a estar só conosco é fundamental. Quem não é capaz de estar só, acho que dificilmente saberá estar com outros, ou outro, um outro especial.

    Não creio que a maioria dos namoros sejam falsos, porém. Acho que todos estão à procura de algo diferente. Esquecem, ou não sabem, porém, que uma relação será algo a ser construído, a dois, com muito cuidado, atenção, carinho. Amor não é algo que exista e venha pronto, eu penso. Paixão, sim, acontece e pronto. Mas amor, união, é uma coisa construída.

    Não condeno o GP. Ele estava fazendo o jogo dele. A gente tem que saber o que esperar, e temos também o direito de nos iludir. Não acho que você tenha feito mal. No fundo, você sabia ... E, por outro lado, se você não dá chance, nunca saberá se poderia rolar algo diferente. Eu digo isso porque comigo, há muitos anos, ainda solteiro, fui algumas vezes insistentemente sondado por um, que dizia que comigo ele queria ficar de verdade e tal, sem cobrar. Eu nunca caí na lábia dele, claro. Até que um dia encontrei ele fora do ambiente onde ele normalmente trabalhava (uma sauna), e rolou. E repetimos algumas vezes. Ele, pelo menos comigo, foi exceção. Curtimos muito, e não houve nem grana nem insinuação disso. A única coisa: ele me pediu pra não contar pra ninguém que ele não havia cobrado... Enfim, era um homem com quem seria até possível uma relação diferente. Mas não comigo. Não sou tão otimista assim...

    Independentemente da tristeza que nos passou, seu texto é sempre belo, Foxx. Você ainda precisa juntar esses contos e, um dia, publicá-los.

    ResponderExcluir
  24. Tá. Anota meu número aì e da próxima vez me liga... hahahaha! Esse Lenin...

    ResponderExcluir
  25. nao vou te julgar, como uns fizeram. quero ver quem recusaria. todo mundo quer ser abordado na rua, elogiado, paquerado, todo mundo quer se sentir querido.
    a hora chega? talvez. eu já não conto muito com isso, prefiro aprender a lidar com o meu 'agora'.
    mas este sou eu.
    boa sorte, foxx.

    [j]

    ResponderExcluir
  26. {"lógico q é hétero"? oi? pq lógico?}

    é que, como ja disse antes aqui,(http://dearbenin.blogspot.com/2010/08/o-cara-do-banco.html), quando eu me apaixono, é quase uma maldição. eles sempre o são.
    ;D

    [j]

    ResponderExcluir
  27. nooossa! sua vida é muito triste.

    ResponderExcluir
  28. As vezes estar só é a melhor coisa para o momento.

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway