Google+ Estórias Do Mundo: Fantasias Patéticas I

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Fantasias Patéticas I

Obviamente, como são fantasias, nada neste post realmente aconteceu, ok? Avisados?


Encontros Casuais

Estávamos juntos na casa de um amigo em comum, um jantar de aniversário, eu sentado do lado dele, mãos entrelaçadas, olhares íntimos, beijos rápidos. Quando ela sentou em nossa frente, de cabelos longos e olhos brilhantes e curiosos, falou, sem pensar muito:
- Vocês dois parecem tão apaixonados!
Nós sorrimos, apresentações foram feitas e ela, curiosa como era, perguntou:
- Como vocês se conheceram?
E eu deixei, com um sorriso, enquanto acendia um cigarro, que ele mesmo contasse.
- Ah, foi bem casual mesmo. Eu estava no lugar certo, na hora certa - e sorriu para mim - eu fui a Americanas, sabe? Com um amigo e ele estava lá, comprando coisas para ir ao cinema, não é? - perguntou ele para mim, o que ascenti com a cabeça - Ele ia ao cinema sozinho. Eu o olhei, ele até notou que eu estava olhando, e eu fiquei louco de vontade de falar com ele, não sei o que aconteceu, não é que tenha sido amor a primeira vista, mas eu senti uma vontade imensurável de conhecê-lo melhor. Coincidentemente, eu fui para a fila do caixa e ele apareceu atrás de mim, e eu não podia perder a oportunidade e puxei assunto, uma idiotice qualquer sobre a capa de uma revista, e ele foi bem monossilábico.
- Ora, eu sou tímido! Interrompo.
- Agora eu sei disso, na hora, eu pensei que estava era te incomodando. Achei que seu namorado poderia estar p'ra chegar e você tinha medo dele te ver conversando com um estranho qualquer.
Ruborizo com as declarações, mas me concentro no cigarro para ninguém perceber.
- Pois bem, eu, apesar de tudo parecer contrário, insisti. Ele contou que ia ao cinema, e eu me ofereci para ir junto. Pior que eu tinha marcado com uns amigos, só quando eu entrei no cinema que mandei uma mensagem para eles dizendo que tinha conhecido alguém maravilhoso totalmente ao acaso e que eles me desculpassem.
- Ah, isso causou revolta em alguns, eu soube depois. Comento, após baforar o cigarro.
- Pois então vimos o filme e eu tentei segurar a mão dele no cinema, com o coração saltando, e ele deixou. - ele então me sorri apaixonado - Depois fomos tomar um chopp num bar perto da casa dele que ele sabia que estava aberto, e aí começamos a nos conhecer, fomos ficando e, algum tempo depois, namorando. Faz um ano desde então.

23 comentários:

  1. que fofo
    também queria isso pra mim, só que eu acho que o meu acaso seria algo mais como "eu estava louco numa festa que não lembro o nome ai ele foi e segurou minha cabeça quando vomitei e nos apaixonamos"
    sacanagem
    ahahahahahahahahahaha

    adorei a história, que lindo!
    bjogrego pra vc :*

    ResponderExcluir
  2. Ah, Fox! Como assim, o cara troca 2 palavras com outro na fila das Americanas e já diz que é uma pessoa maravilhosa.. muito doce! Argh! Ass: Rafa, o ACRI-doce (rs) Bj

    ResponderExcluir
  3. adoro estas imprevisibilidades da vida ...

    acredito nelas mais do nunca

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  4. É gente, coincidências que não são apenas coincidências.

    ResponderExcluir
  5. ...aí eu acordei!
    Pq só assim pra uma coisa dessas acontecer comigo! haha

    bjos

    ResponderExcluir
  6. Só não entendi o porque de "patéticas", para mim parece adorável. Devo me considerar patético, então? Enfim... Parte II (super atrasada) publicada no HOMOTOON. O não-fim combina contigo, sabe.

    Kiss

    ResponderExcluir
  7. Não há histórias completamente inventadas.

    ResponderExcluir
  8. *.*
    transitoriedade da vida...

    abraços
    voy

    ResponderExcluir
  9. Todos queríamos um encontro desse tipo e não tem nada patético nisso é só uma vontade geral de que esse tipo de coisa realmente acontecesse.
    Abraçooo!

    ResponderExcluir
  10. Acho tão incrível isso de "ver nas americanas, puxar conversa e ir pro cinema!" hauahuahuaha...

    De fato, concordo com Rafa, lá em cima. Mas se funcionou com vc, fico SUPER feliz. Afinal, concordar com o Rafa não quer dizer que estejamos certos.

    Ah, e com relação a sua visita ao meu blog (rsrs), vc não foi recepcionado lá com aquele Gif, viu? Vc já tinha me visitado outras vezes, então, concorde cmgo quando eu digo que aquele gif é libertador! =]

    Volte mais vezes!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Eu to com o Rafa... sou mais amarguinho, tenho um pouco de nojinho dessa coisa de amor instantãnea na fila da loja... tá, sou invejoso mesmo ahauahauhau

    Pô primo, dia 12? Dia 12 nem vou estar no Rio...

    ResponderExcluir
  12. Ah que bom se fosse simples e lindo assim encontrar a alma gêmea!!! Atualmente estou topando até alma inversa mesmo! hahaha!!!

    Aliás... Parabéns atrasado pelos 5 anos de blog!!! Que venham mais 5... 10... e assim vai!!!

    Infelizmente não tive disposição para participar da promoção... também não queria postar algo meia-boca só por postar!!!

    ***

    umBeijo!


    ;-)

    ResponderExcluir
  13. não sei por que "patética".

    td mundo quer algo assim.

    eu sei por que é fantasia. se fosse real não existiria a palavra imensurável.

    ResponderExcluir
  14. rsrsrrs... o post é maravilhoso e nada patético... mas os comentários são divertidíssimos.
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  15. Fantasia simples, mas que todos queriam uma realidade parecida...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Ixi, tinha eh tempo q n vinha aqui. Eh, a fantasia eh meio açucarada demais pro meu gosto, mas q todos temos as nossas fantasias patéticas, ah, isso temos...

    ResponderExcluir
  17. Ei fofo, obrigado pela visita e comentário adorei, vamos ver no que esta história vai dar, apesar de tudo ainda estou na torcida.

    ResponderExcluir
  18. Meninu, que historia bacana, quero uma dessa para mim, onde consigo? Acho que vou na Americana tb, um amigão meu aqui de Vitória tb conheceu o namorado dentro da loja, credo, mania de provocar encontros, rsrsrs!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway