Google+ Estórias Do Mundo: Incentivo Materno

sexta-feira, 21 de março de 2014

Incentivo Materno

, em Natal - RN, Brasil
Eu cheguei a casa dos meus pais para almoçar com eles. Era um dia de semana e trabalhar em casa me permite tais luxos. Eu encontrei minha mãe na cozinha, enquanto eu colocava um copo d'água gelada para mim, ela me interpelou:
- Foxx, com que você trabalha mesmo?
Eu ri.
- Já te disse umas três vezes que fui contratado para editar um livro...
- Mas e depois? O que você pensa em fazer quando esse contrato acabar?
Eu pensei um pouco. E respondi sinceramente:
- Eu não sei.
Ela me olhou como quem enfrenta um quebra-cabeças de mil peças. Respirou fundo e, após um suspiro, continuou:
- Você parece que morreu desde que voltou. Onde está aquele Foxx que dizia que ia fazer, que se jogava para aprender, que encarava qualquer desafio? Onde ele está? Parece até que está morto.
E virou-se para as panelas. Minha mãe queria me dar um incentivo tentando atiçar meu orgulho, queria que eu provasse para ela que está enganada. Mas ela não está. O filho que ela estava descrevendo realmente está morto. Morto e enterrado sobre uma pilha de sonhos. E eu realmente não tenho a mínima ideia do que farei daqui a um mês quando este contrato acabar, porque a questão não é procurar emprego, é qual emprego eu vou procurar, sem sonhos eu não sei mais o que desejo fazer.

32 comentários:

  1. Respostas
    1. Ô Thomas, vc não enxerga como seu comentário não tem lógica? É óbvio que uma hora é tarde demais, porque vc está velho demais, porque você está doente demais, porque vc está cansado demais, não seja ingênuo e ache que a vida sempre estará aberta como se fosse ainda tivesse 18 anos, o mundo real não é assim.

      Excluir
    2. Não seja grosso com ele. Ele só quer ajudar.

      Excluir
    3. Lucas, eu não fui grosso. Quando eu fazer um comentário sobre o comentário dele não pode, nunca, ser levado como uma ofensa pessoal. Estamos discutindo um assunto de forma educada, ou não? Ele expôs o argumento dele e eu demonstrei que esta afirmação de cinco palavras não tem lógica. Somente isso. Não entendo como isso pode ser interpretado como grosseria.
      Ou eu estou enganado?

      Excluir
    4. Fox, sou obrigado a concordar com o Thomas, depois de entrar na faculdade aos 50 (coisa que se faz aos 18) eu diria que nunca é tarde demais... Talvez seja a hora de vc procurar uma ajuda externa, talvez uma terapia, um grupo de auto-ajuda, interesses dispersos já que vc agora tem o privilegio de trabalhar em casa. Vc tem um perfil mais introspectivo e menos entusiasmado e talvez ajuda externa pode ser importante... Vc argumenta sempre baseado em que tudo nao vai dar certo, de o quanto vc é infeliz, e não estou acho que esta errado em ser assim, mas talvez procurar ajuda para entender os motivos que lhe levam a encarar a vida desta forma... sei la´... faz um tempo que queria te dizer isto, não leve a mal se estou me intrometendo ou simplificando sua vida - cadaum sabe a dor e a delicia de ser o que é... abraços!

      Excluir
    5. Querido, tenha certeza, de forma alguma vou levar a mal o fato de você estar fazendo um comentário. Se os comentários estão abertos, significa que me interessa ouvir a opinião dos outros sobre aquilo que posto, não é?
      Sobre a ajuda externa, eu sinceramente já sei os motivos que me fazem pensar assim, meu caro, minha realidade ao contrário da de todos não é de oportunidades (é estranho ver como todos tem oportunidades novas e eu estou sempre na mesma, mas isso realmente acontece). Você está certo quando diz que me falta entusiasmo para viver, mas porque nada lá fora me causa entusiasmo, os meus sonhos se desfizeram, e eu aceitei que posso ter um pouco. Eu aprendi que na minha vida a única forma de ser minimamente feliz é não ficar desejando nada mais do que eu já tenho.

      Excluir
    6. Eu já disse que vejo você como uma versão futura minha, não é? Se não disse, tô dizendo agora. E você é muito infeliz pra ser um futuro meu, por mais que a nossa realidade, a época, os tempos sejam outros e permitam coisas diferentes. O problema é que não sei uma solução plausível. Só sei que ficar achando que já é tarde demais pras coisas não é um caminho viável.

      Excluir
    7. Não, Lucas, você nunca me falou que se imagina parecido comigo no futuro. Nem sei porque você gostaria isso. Gente, eu só fiz coisa errada, não siga meu exemplo não.
      E não, Lucas, eu não sou infeliz. Eu não sou feliz, de fato, mas o mundo não é tão simples que só existem essas duas opções. Eu não sou infeliz também. Eu tô vivo, e caminhando em frente. Mas sim, eu repito, é tarde demais para uma série de coisas, pelo menos para mim. É tarde demais para eu encontrar amor, é tarde demais também para eu conseguir um emprego em uma universidade, é tarde demais para eu ter novos sonhos. Contudo, nada disso, me torna uma pessoa infeliz, eu só não tenho mais ilusões que serei feliz.

      Excluir
  2. Eu também tô assim. Se você melhorar, posta aí, pra ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido, melhorar não pressupõe que nós estamos mal? Eu não acho que eu estou mal porque desisti. Eu estou melhor do que eu estava nos últimos sete anos exatamente porque eu desisti. Por mim ficaria assim mesmo. Preciso é desistir de mais coisas. Ai sim tudo estaria ótimo.

      Excluir
  3. Foxx, parece-me que fala de uma questão de foro íntimo,
    não posso me intrometer nisso, mas me parece, igualmente, que
    a política de desistir sempre, não é uma atitude aconselhável.
    Creio que, realmente, o pensamento de "nunca é tarde" não
    condiz com a realidade, porém, a realidade depende de nossa
    atitude perante a vida. Aí sim, nunca é tarde para reformular
    n ossos conceitos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, Tesco, a política de desistir sempre não é uma atitude aconselhável, mas também não é uma atitude aconselhável a atitude de persistir sempre. Algumas vezes temos que desistir, outras vezes temos que continuar, e temos que ser sábios para entender qual coisa deve acontecer. Acredite, então, quando eu digo que em relação aos meus antigos sonhos românticos e profissionais eu tenho sim que desistir. Eu concordo que nunca é tarde para reformular nossos conceitos, e um dos conceitos que eu reformulei foi exatamente do de persistir em alguns sonhos que eu tinha. Eu precisei desistir deles, eu precisei aceitar minha vida exatamente como ela está, porque se eu continuasse, se eu tentasse mais, eu não suportaria.

      Excluir
  4. Eu mudaria de sonhos.Talvez eu seja mesmo o que chamam de otimista incorrigível. Porque mesmo quando as coisas estão dando errado ou quando eu acho que não há mais nada a fazer, eu penso: eu vou tentar fazer cada minuto dessa vida valer a pena, porque até que se possa provar o contrário, é a única que eu tenho. Vou ver filmes sobre os assuntos que gosto, livros que me tragam coisas novas e procurar outros assuntos que eu goste, outras metas, e tento acreditar que é uma fase, que vai passar. Por isso, eu procuro ter sempre mais de um plano. Fazer um concurso ou mudar de estado. Porque se eu depositar minhas esperanças em apenas uma ou duas esferas, e elas não darem certo, eu vou ficar de mãos atadas. Assim, seja lá como for, eu prefiro continuar sonhando. Porque, mesmo se eu não realizar alguns deles, eu pelo menos vivi nos meus próprios sonhos. Sei que parece texto de livro de auto-ajuda, e que talvez você esteja desconfortável com algumas decepções no momento, mas é como eu prefiro ver, ver a vida sob o tolo ângulo do "ainda posso melhorar algo, seja lá o que for". Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu não tenho mais sonhos, Vilser. O que aconteceu foi que eu apostei tudo, extamente como vc disse para não fazer, em busca dos meus sonhos. Eu queria um trabalho, eu queria um amor, eu queria tudo isso e vi, junto, que nada disso me era possível, Mas eu passei os últimos 20 anos da minha vida investindo para ter o meu trabalho dos meus sonhos, os ultimos 20 anos procurando alguém que pudesse me amar, mas cheguei agora aos 32 anos e, quando vi que isso era impossível, não tinha mais nada a procurar na minha vida. Você fala tanto em ter novos sonhos, mas eu não tenho novos desejos. Por isso eu desisti, porque agora eu estou muito mais na vibe de viver com o que tenho, e me contentar com isso.

      Excluir
  5. Foxxito... só digo uma coisa: tu realmente é um quebra-cabeças de mil peças! E isso é um elogio!!! Hehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq eu acho isso, mon ami?!? Por tudo que ao longo do tempo tu foi mostrando... um cara cheio de facetas, nuances, humores... daquelas pessoas que nos desafiam e nos fazem desejar horas de #bonspapos numa mesa de bar!!!

      Excluir
    2. Ah, Fred, só vc mesmo. Com certeza vc é o único a pensar assim lendo meu blog. Todos devem me achar um chato que não iam querer conhecer nunca...

      Excluir
    3. A unanimidade (na maioria das vezes) é burra... hehehehe! E sim: menos miojo, mais macarrão de verdade!

      Excluir
  6. Pois é... mães e sua insustentável leveza de ser...
    =***

    ResponderExcluir
  7. já pensou em fazer um teste vocacional ou algum workshop sobre 'inspiração' e 'busca de nossos sonhos'? tem alguns por aí, acho que valeria a pena pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Railer, essa seria uma boa ideia, eu já pensei inclusive nisso, porém esse tipo de coisa não acontece em cidades como Natal, pequenas províncias, não é? Sei que em uma cidade como o Rio isto deve ser comum, mas aqui, com certeza, é coisa rara. Mas quando acontecer, pode ter certeza que estarei lá.

      Excluir
  8. o Fred acertou na mosca ... acho q já te falei muito sobre isto ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, eu acho que vc tem conversas incríveis comigo e esquece de me contar, kkkkk, porque vc sempre fala "acho que já te falei muito sobre isto" sem nunca ter se manifestado sobre o assunto... vamos colocar pra fora estes pensamentos, caríssimo, minha telepatia ainda tá muito mal treinada!

      Excluir
  9. Gosto quando você fala da sua vida, me soa mais verdadeiro. Saudades de seus textos cheios de paixão, sexo e sentimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Anônimo, que fofo seu comentário! Fico feliz que você gostasse do que eu escrevia antes, mas pena que agora na minha vida não existe mais paixão, sexo ou sentimentos sobre o que falar, uma pena mesmo. Espero que você goste destes novos textos, eu sei que eles são bem apessoais e até, eu diria, estéreis, mas acredite é esta a minha vida agora. Eu discutindo TV, política, homofobia. Ou seja, me tornei apenas o acadêmico, afinal foi a única parte da minha vida que eu consegui, de fato, desenvolver.

      Excluir
  10. Essas fases são assim mesmo... desilusão, achamos que não vale mais a pena sonhar e tudo o mais, mas entenda que isso é só uma fase, só mais uma fase e vc vai passar dela e chegar em outro chefão e vai superá lo também , e PÔ que bacana! Escrever um livro cara isso é demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo, Dernier, espero que vc esteja certo. Talvez um dia isso passe, mas, infelizmente, por enquanto, é com isso que tenho que viver, não é?

      Excluir
  11. Bom, o que dizer ?
    Talvez que cada dia é um dia diferente, e talvez seus sonhos mortos fiquem pra traz e que novos sonhos nasçam nesses novos dias ...
    Já fiquei assim também, mas isso passou, e passará pra vc também ! Estou certo disso !

    Abraço e fique bem !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, se passar será ótimo, se novos sonhos surgirem tb será ótimo, senão... continuarei na mesma vidinha de sempre.

      Excluir
  12. Preocupações naturais de mãe.
    Vivemos numa nova era em termos profissionais. Já não existem empregos para a vidsa, como na geração dos nossos pais.
    (Já não vinha aqui há algum tempo)
    abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, de fato, eu entendo a tentativa dela inclusive. Ela só está tentando ajudar.

      Excluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway