Google+ Estórias Do Mundo: Romantismo

terça-feira, 5 de julho de 2011

Romantismo

, em Belo Horizonte - MG, Brasil
Acordaram tarde naquele domingo, acordaram juntos sob o mesmo cobertor, verde, na cama de solteiro. Não se importavam com a falta de espaço, até preferiam porque estava frio lá fora, mas, sobretudo, porque gostavam do contato do corpo um do outro. Das pernas que se enroscavam, do braço em torno do pescoço, do sexo de um em contato com a bunda do outro. Gostavam. Mas acordaram e um dos dois levantou e vestiu apenas uma cueca. E, apesar do frio, saiu do quarto quase desnudo, deixando o outro ainda tão sonolento que quando o de cuecas retornou com café quente, torradas, queijo, granola e duas laranjas, aquele que ficara não percebera o tempo do outro ausente. Eles então sentaram, um de cuecas, daquelas brancas, de algodão, e abertura na frente; o outro nu. Comeram na cama, alheios ao mundo lá fora, porque nem as cortinas abriram. O sol entrava então filtrado pela cortina multicor. Conversaram banalidades de domingo, o de cucas ligou o computador e colocou num site de TV por internet, e eles terminaram de comer assistindo algum seriado do Warner Channel, que servia, na verdade apenas como som ambiente para as opiniões compartilhadas por aqueles dois, namorados, nos dias em que acordavam juntos, principalmente nos fins de semana que nenhum tinha que correr para o trabalho, e era possível se deixar ficar mais naquele quarto. 
E voltaram para cama., sonolentos, após o desejum. O que estava nu voltou primeiro, foi ele quem abriu a coberta e chamou o outro para junto de si. O de cuecas abandonou sua vestimenta antes de se aninhar nos braços do namorado, estendido na cama, estreita, porém perfeita para eles dois. Recebeu um beijo perfumado com café e laranja nos cabelos quando encaixou a bunda no sexo do outro. O namorado, rapidamente, adormeceu de novo. O que estava antes de cuecas continuou assistindo o Warner Channel no computador ligado, mas o som oriundo do computador agora continuava sendo apenas  pano de fundo para o ronco baixinho do outro ao seu lado, que aos poucos lhe ninava e o levava a compartilhar o sono e até os sonhos com o namorado, dormindo ali, apertado ao seu lado, na cama de solteiro. 

29 comentários:

  1. Hummmmmmm,romantismo no ar!

    Acredita que nao consigo dormir com alguém encostado em mim?Isso já me causou sérios problemas.Dou chutes e socos,dormindo.kkkkk.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Eu achei uma delícia esse 'post'.
    Obs: eu coloquei o 'banner' do Blogayroz. Tentei diminuir o tamanho para adaptá-lo ao estilo do blog, mas ele só permite alterar a largura. Há um jeito de diminuir o comprimento?

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito,meu querido.
    Quando teremos contos?
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. delicia acordar acompanhado!
    :D

    ResponderExcluir
  5. Eu até ia fazer nossa primeira "piada interna" dizendo que prefiro o Renascentismo ao Romantismo, mas depois de ler o conto... nah! Muito lindo!! :-)

    ResponderExcluir
  6. Que lindo... E que inveja.XD Se eu viver algo assim sou a pessoa mais feliz da Terra! T^T

    ResponderExcluir
  7. Foxx, meu caro... tu és um cara complicado e perfeitinho e nossos caminhos virtuais estão se cruzando desde priscas eras e tanto por isso vou ousar replicar teu comment. Ousar porque tu é uma figura capaz de tudo... capaz, inclusive de dizer a verdade... como já vi em muitos comments teus espalhados por aí. Portanto - desde já - perdoe a minha ousadia, tá? Não estou dando conselho, pois você meu caro - no seu íntimo - despreza conselhos, tenho certeza. E digo isso sem julgamento de opinião... até porque conselhos também me aborrecem... hehehe! No seu comment vc indaga como fazer aquele homem que já não tem vontade, que está para desistir e que sente esvair a força da luta, né? Ao que te respondo - sendo muito sincero: NÃO SEI. Só sei que a resposta - se existe - está dentro desse peito filosófico que tens. E cabe a ti querer descobrir ou ceder à tentação da desistência. Ser homem complexo acarreta nisso... nessa dúvida se vale mesmo a pena, nesse fastio, nessa agonia que grita calada e (nos) devora. Gostaria de poder ajudar mais - mesmo ciente de que não pediste ajuda. Gente como tu e também como eu não carece de ajuda alheia. Parece arrogância, mas não é. É auto-conhecimento. Hehehe! Sei que és um colecionador de estórias e eu um mero fanfarrão, mas ainda quero que saibas que consigo te escutar. Sei que vais rir agora, mas teu pedido foi atendido. Teu ícone foi alterado. Não só porque pediu, não só porque seria adequado, mas principalmente porque quis te agradar. Não te agradar pra te cantar, pra te comer, pra te pegar, ou pra te conquistar. Quis te agradar porque mereces o agrado. Daí... podes tirar uma linha de raciocínio: se um completo desconhecido - perdido no meio do pampa gaucho - quer simplesmente te fazer um agrado é porque tem muita coisa boa e que vale o empenho nessa vida... não achas?
    Foi uma tese!
    PS: Não tô drogado, tzá??????
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. A simplicidade dos dias comuns é tudo.

    ResponderExcluir
  9. discordo do Lobo em um ponto.

    quem disse que esse era um dia comum pra qualquer um dos dois, o desnudo e o que estava de cueca.

    mas gosto desse estilo contemporâneo, faz do mundo que a gente vive algo mais bonito de se ler.

    belo texto.

    ResponderExcluir
  10. Conversa pra Boi dormir Isso Sim!

    Bjo querido

    ResponderExcluir
  11. Ow! não entendeu? então vai pra "KAGAR" ... rs

    ResponderExcluir
  12. Pelo "fofo" que me designas devo entender "gordo"???????? Hahahahahaha!

    ResponderExcluir
  13. se na vida real fosse tudo assim, sempre felicidade... (Amargo, 28, Berlin)

    ResponderExcluir
  14. Que nossas vidas tenham mais domingos como este em meio às lutas.

    ResponderExcluir
  15. Idéia: a vida pode ser simples como um domingo a dois numa cama de solteiro.
    O conto nos deixa com a saudável sensação de que ser feliz parece ser bem mais simples do que imaginamos.

    E eu acho que é mesmo!
    Talvez nós é que compliquemos demais as coisas. Esperando o que não existe, imaginando o que nunca virá, esquecendo do que aqui está! Com primeiro e fundamental degrau!

    ResponderExcluir
  16. Um momento, um belo quadro. Adoro ir imaginando cada frase. E a cama como terceira personagem. Aliás, tem horas que uma cama de solteiro cai melhor que qualquer king size, ne?
    bonito, seu Foxx.

    [j]

    ResponderExcluir
  17. Entendi.
    E gostI.
    Hahahahaha!

    ResponderExcluir
  18. Hello Very funny post...

    ResponderExcluir
  19. Fogos e labaredos à parte... vamos atualizar, queridinho?????? Hahahahaha!

    ResponderExcluir
  20. não precisa namorar, suas ficções já são muito verdadeiras.

    ResponderExcluir
  21. Hummm... cena perfeita, hein?!? Longe de saber o que é isso!!!
    ainfain

    ResponderExcluir
  22. Eu, se estivesse vivendo essa cena, seria o cara desnudo, com certeza... huahuahua

    Abraços!!

    ResponderExcluir

" Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente."

Ernest Hemmingway